Arquivo | Diversão RSS feed for this section

CACHOEIRA DO ELEFANTE ou… CACHOEIRA DO RIO ITAPANHAÚ

18 abr

Oi gente!

Na falta de novas viagens, o jeito é contar velhas, porém boas histórias!

Com sua beleza e imponência, a Cachoeira do Rio Itapanhaú arranca suspiros de quem passa pela Rodovia Mogi-Bertioga, também pudera, são três belas quedas e a maior delas com mais de 80 metros.

Mais conhecida como Cachoeira do Elefante (Dizem que quando diminui o fluxo de água, uma pedra lembra um elefante – esquisito, nós não vimos nada!), é mais uma grande atração de Mogi das Cruzes. Na verdade, fica um pouco depois da Cachoeira da Pedra Furada e da Cachoeira da Light, do lado direito da rodovia, sentido Mogi-Bertioga.

ONDE FICA???

Bem pertinho,  em Mogi das Cruzes, SP.

  • Rodovia Mogi-Bertioga, km 81

COMO CHEGAR (a partir do centro de São Paulo)???

  • De carro: pela Dutra até o km 204 – próximo ao trevo de Arujá (pedágio R$ 2,30) há o acesso à Rodovia Mogi-Dutra, ou pela Rodovia Airton Senna até o km 44 (pedágio R$ 2,40), há o acesso para a SP 88 – Rod. Prof. Alfredo Rolim de Moura (Mogi-Salesópolis). O centro de Mogi é bem sinalizado e facilmente se chega até a Mogi-Bertioga (SP 98), siga até a balança no km 77, e em um dos dois botequinhos você pode guardar o carro.
  • De condução: trem da estação  Brás até Guaianazes (R$ 3,00) , onde se faz baldeação sentido Estudantes. Descer na última estação e pegar o ônibus Estrada Manoel Ferreira (R$ 3,00) até o ponto final, balança no km 77 da Mogi-Bertioga. Outra opção é a lotação (R$ 10,00) que sai da estação Estudantes e deixa você na entrada da Trilha e o melhor, pode buscá-lo no horário combinado.

 

A TRILHA

São 9 km de descida, e se isso parece moleza, acreditem: moleza e tremedeira  é o estado geral das perninhas quando se chega diante da cachoeira.

Mas trilha boa é trilha difícil, retirada, longa e que exige bastante esforço, pois certamente a recompensa é um lugar paradisíaco, e este é bem o caso.

Com início no km 81, ao lado  da placa “ Trecho de Serra, desça engrenado”, do lado direito da rodovia no sentido Mogi-Bertioga, a trilha é bem marcada e  com declividade bastante acentuada (preparem-se para usar muuuuito o 5º apoio,rsrs!)   em alguns pontos corta-se alguns córregos e riachos e na maior parte do tempo ela desce praticamente colada às margens das quedas da cachoeira, de modo que o barulho da água é a melhor referência de localização.

 Mas nós sempre recomendamos que qualquer trilha  em mata fechada seja feita com o auxílio de guias experientes porque  é seguro e promove a sustentabilidade, outra boa opção é trilhar com quem já foi algumas vezes e conhece bem o local. Na verdade esta é uma trilha bastante conhecida e freqüentada, não raro há várias pessoas acampadas na parte mais baixa do vale, já na base da trilha.

O camping selvagem  é uma experiência interessante e barata, mas também envolve responsabilidades como priorizar a própria segurança e recolher o lixo gerado. Se todos  deixarem  seus resíduos espalhados, em breve será mais agradável visitar o chafariz da Praça da Sé.

 A CACHOEIRA

Duas palavras: MAJESTOSA E VIOLENTA!!! Fomos no período de menor fluxo de água e mesmo assim é muuuita água!

Do lado esquerdo da cachoeira o volume de água é mentor e forma-se  um poço para banho, que segundo depoimentos: é gelaaaaaadíssimo!

E como sempre acontece conosco, o tempo estava péssimo!Claaaaro que se, e somente se, São Pedro  tivesse colaborado, as fotos seriam muito melhores, mas mesmo assim valeu a pena, pelo simples prazer de trilhar, pelas agradáveis companhias e pelo maravilhoso espetáculo da natureza.

A VOLTA

Diz o dito popular que na ladeira todo santo ajuda, mas não nos parece que os padroeiros estejam disponíveis nas subidas, e para voltar da Cachoeira do Elefante há três opções:

GUIA – A opção nº 1 é voltar pelo mesmo caminho.

 NÓS ( CHOQUE) – O QUE??? 9 km de subida? Isso não é uma opção, vamos ficar aqui para sempre!!!!!!!!

GUIA – A opção nº 2 é descer  ± 10 km acompanhando o rio Itapanhaú até o trevo da Mogi-Bertioga com a Rio-Santos e voltar de busão.

NÓS (DEPRESSÃO) – Vamo  aí, pelo menos os santos continuam nos empurrando ladeira abaixo e chegamos mais rápido.

GUIA – Mas temos que cruzar uma propriedade particular e o cara é meio bravo, sempre implica com os trilheiros e parece vive armado.

NÓS  (REJEIÇÃO) – Guia, nós simplesmente te odiamos. Vamos chamar os bombeiros, o 9-1-1, o Ricardo Young…

GUIA – A opção nº 3 é cruzar o rio Itapanhaú e com ± 2 km de subida íngreme, mas muito íngreme mesmo, chegamos no mirante do km 83. De lá voltamos de busão.

NÓS (ACEITAÇÃO) – Senhor guia, seja feita a vossa vontade, mas tirai-nos daqui, amém!!!

O Rio Itapanhaú tem cerca de 1,5 m de profundidade, fundo pedregoso e correnteza bastante forte, seu nível pode variar com as chuvas  e a travessia se tornar muito perigosa.

Brincadeirinha gente! As opções de conclusão da trilha são reais, mas os dialógos não aconteceram porque não fomos guiados. Estávamos em companhia de amigos solidários e extremamente responsáveis, que conhecem muito bem o lugar e tornaram nosso passeio  muito mais seguro.

Ah! Só para esclarecer, gente: claro que não vivemos no Oriente Médio e sabemos que aquele turbante está ridículo, mas era o único jeito de preservar um agasalho sequinho (ou menos molhado) para a volta! ;-P

E para falar a pura verdade, por ± 2 km de subida íngreme, mas muito íngreme mesmo”, entendam: SUPER, HIPER, MEGA, MONSTRO ÍNGREME MEEEESMO!!!  Em alguns pontos há degraus escavados no barranco, em outros alguns troncos de árvores e em outros apenas algumas raízes, então fica mais ou menos assim:

4 ou 5 passos >dói o joelhinho = pára e descansa + 4 ou 5 passos > falta o ar = pára e respira + 4 ou 5 passos …  e assim vai até o mirante, de onde  podemos contemplar toda essa beleza à distância e lançar um último olhar de até breve, quem sabe num próximo fim-de-semana ensolarado.

E vocês? Já foram?

Bjo gente!

Vejam aqui as FOTOS, FOTOS, FOTOS!!!

   

Anúncios

MARATAÍZES/ ES

17 maio

Marata, para os íntimos!!!

Oi gente!!!

No dia seguinte a estréia do longa (kilo)metragem  a “Viagem sem Fim” – lembrem-se que foram 1000 km em 20 horas, estávamos confortavelmente instalados em nossa hospedagem “TUDO DE BOM” e  éramos mimados por nossos anfitriões com muita atenção, carinho, boas conversas, comidas deliciosas e repouso, de modo que a  última coisa que  nossos corpinhos de bumbuns quadrados queriam,  era  espremerem-se novamente num carro.  Se ao menos tivéssemos uma amiga fisioterapeuta!!!!!!! Pelo menos tínhamos nosso próprio guia nativo à disposição, aliás muitíssimo orientado!

Mas  o dia estava lindo e deliciosamente quente (cremos que S.Pedro perdeu nossa rota, ahahahaha!!!!),  e o mar, há apenas 45 minutos de distância! Gente, mar!!!!!! Ah, tá! Nesse caso, vamo ae!!!!

1ª SURPRESA

De Cachoeiro do Itapemirim a Marataízes pela ES-460, revezam-se extensas culturas de abacaxis e maracujás, e para nós, até então acostumados com o relevo do litoral paulista,  faltava alguma coisa: a serra.

Nossa ignorância em geografia se justifica: preferíamos anatomia comparada (namorar), filosofia e sociologia (botecos).2ª SURPRESA

No lugar da rústica cidade de veraneio que esperávamos encontrar, na periferia situam-se fazendas  e na região central, ruas estreitas apinhadas de casas (em construção ou reforma) e um comércio fervilhante, lembrando uma cidade do interior com vida própria e em franco desenvolvimento. O turismo não deixa de ser uma importante fonte de renda,  mas parece que desde sempre Marataízes apoiou sua subsistência principalmente em outras bases,  como a pesca,  construção civil, comércio e agricultura. Até 1992 pertencia como distrito a Itapemirim, passando a existir legalmente como município a partir de 1997.

As praias de Marataízes, da Barra, da Cruz e das Arraias são as mais habitadas, tendo toda orla construída. A água é geralmente turva, por causa das areias escuras.

 

O point do lugar é o bar do Geredy’s. Ferveção da temporada e feriados prolongados, promove vários festivais de ska, reggae, forró universitário, além de sediar a melhor festa de reveillon do litoral capixaba (se tudo der muuuito certo, pretendemos averiguar os depoimentos na virada 2011/2012).

Geredy’s

A partir da praia do Siri, sentido sul, as praias são mais selvagens e com poucas construções.

Praia da Boa Vista

3ª SURPRESA

Claro que sabemos da nossa insignificância frente a um mundo de milhões de anos, mas nossa vidinha tão breve nos força a dar importância ao horário comercial, quinto dia útil e etc. As falésias nos fizeram cair na real, embora não possam nos manter nela.

De frente para a escarpa, observamos as  diferentes camadas de solo que a formam e pensamos nos milhões de anos que levou para que fossem depositadas ali.

Milhões de anos para juntar o pozinho em camadas

 As Falésias de Marataízes são chamadas de falésias vivas porque ainda sofrem erosão, principalmente pela ação marinha, e apresentam uma taxa de recuo que varia entre 1 a 3,5 metros por ano. A desconstrução (de qualquer coisa) é sempre muito mais rápida!

Apenas alguns dias para desfazer

BÔNUS

Vimos nossas amadas tartarugas marinhas se alimentando de algas no costão rochoso em frente as falésias. Claro que não deu tempo de fotografar, vcs sabem como elas são tímidas, né gente!

 4ª SURPRESA

Lagoas!As mais badaladas são  a da Boa Vista e do Siri, mas são 8 no total.

  

Lagoa do Siri

CURIOSIDADES DE MARATAÍZES

BALADA EM MOVIMENTO – Por apenas 5 dinheiros, ao mesmo tempo se tem direito a dançar e dar um rolê pela cidade. Na carroceria do caminhão adaptado que circula pela orla, a galera agita com muita música eletrônica.

 

Rave Motor’s

GASTRONOMIA TÍPICA – A deliciosa moqueca capixaba o mundo inteiro já conhece, mas e o cachorro quente capixaba? Por 3,50 dinheiros e repleto de ovos de codorna, pasmem: fica ótimo!

 

Tuuuuudo!!!

POLICIAMENTO RODOVIÁRIO – Embora a campanha por um trânsito melhor e seguro seja nacional, os argumentos da polícia capixaba são muito mais convincentes.

 

Tratamento de choque!!!

INFLAÇÃO – Marataízes está muito próxima das refinarias e distribuidoras de petróleo da Bacia de Campos, mesmo assim o preço do combustível é assustador:

Voltemos à natureza, porém a pé!!!

 

POR-DO-SOL – O  céu de Marata no fim do dia, é deslumbrante:

 

Gente, que céu é esse???

CERVEJA – de garrafa, muuuuuuito acessível, rs:

Bebendo barato!!!

 

INFRAESTRUTURA E SANEAMENTO BÁSICO – Belezas à parte, a densa ocupação na linha da costa em Marataízes se deu de forma completamente irregular, não respeitando a legislação quanto ao recuo mínimo obrigatório. Essa situação expõe as moradias a risco devido a erosão causada pela elevação do mar e regime de marés, mas preocupa também pela contaminação devido ao descarte do esgoto doméstico.

O QUE MAIS TEM EM MARATAÍZES?

Sem dúvida nenhuma, muito mais do que nós tivemos o prazer de conhecer! São 25km de litoral repleto de lagoas, falésia, formações rochosas e praias lindíssimas!

Com certeza vale vááááárias visitas!

Bjo gente!

TRILHA ORATÓRIO – PRAIA DA FAZENDA

11 fev

DO RÚSTICO AO SUPER LUXO NO CONDOMÍNIO LARANJEIRAS, PARATY/RJ

 
 
Para pelo menos tentar descrever nossa impressão da Praia da Fazenda, é preciso contar um pouco da nossa realidade: 
 1.       Diárias de hospedagem acima de 25 dinheiros já nos causam séria preocupação quanto à duração da viagem;

2.      Nas refeições, o P.F. pode nos causar leve indigestão se custar mais que 10 dinheiros;

3.      Estamos acostumados com trânsito (muuuuito trânsito!!!) e viajamos com a lotação máxima dos carros para dividir o combustível (invariavelmente pago no cartão);

4.      Algumas de nossas convicções: banho quente é obrigatório, ponto de energia elétrica à disposição é luxo e dormir com areia no colchão inflável é coisa da vida;

5.      Nenhum de nossos amigos tem casa na praia pra emprestar, apenas barracas de camping;

6.      O custo médio das nossas viagens gira em torno de 250 dinheiros por pessoa e isso já causa um verdadeiro rombo no nosso orçamento;

7.       O fato de viajarmos somente no modo econômico nos limita, mas não nos impede de conhecermos lugares realmente maravilhosos e nos divertirmos muuuuito!

Isto posto, podemos agora contar o que vimos, e o que sentimos!

A TRILHA

   

 
 

Informações básicas

 

Tanto faz subida ou descida, a inclinação do morro é cruel!!!!

Partindo da praça, siga a  rua principal, vire à primeira à direita e deixe o asfalto (acesso  somente à pé contornando o muro da primeira casa – estacionamento do baixinho). O percurso total tem menos de 1 km, no trecho inicial apresenta degraus rústicos de madeira, há corrimão em alguns pontos de estreitamento e no final uma escadaria em eucalipto tratado que é um show de bioarquitetura, moleza né? Em dias secos pode até ser, mas com as chuvas do final do ano (dezembro/10) a dificuldade foi quadruplicada. Absurdamente íngreme e com solo argiloso, nem as raízes ou troncos das árvores livraram nossa cara nos 500 m de subida! E na descida a coisa não melhorou, ficou igualmente impossível manter o equilíbrio naquele barro que mais parecia um sabão.

  

Construção sustentável

 
ADENDO: Mata Atlântica preservada com presença de cobras (graaandes) e pegadas de animais (também graaandes) na trilha!

NOSSA MODESTA OPNIÃO: Nada de médio ou moderado, nossa classificação para essa trilha é nível “desafiador” com índice de 4 tombos por pessoa!

  
    PRAIA DA FAZENDA

 

A trilha termina na foz de um pequeno córrego, no canto esquerdo da praia, ao lado de um costão rochoso ideal para mergulho. Areia fina, águas transparentes e mar calmo, bonita. Mas sinceramente ela foi o que menos nos chamou atenção. talvez porque nos primeiros dias do ano os tons variavam do cinza ao preto, talvez porque as construções fossem mais oponentes, mas para que vcs não tenham uma impressão errada, roubamos umas fotinhas do Google:

 
 
 

Fotos tiradas em dias melhores e de ângulos melhores

 

  • A praia – possui apenas 490 m de extensão e  uma faixa de areia bastante estreita e inclinada, amendoeiras gigantescas sombream o gramado. Gente, vcs prestaram atenção ao que leram? “Amendoeiras” e “gramado” não parece completamente fora da nossa realidade tropical??? Por acaso amendoeira é arvore nativa? Será que não deveríamos estar falando de Chapéu de Praia e restinga?

Pousada, spa ou resort??? Ah, que nada!!! É só uma casinha de praia!!!

Gente!!!! Mosquiteiro no quiosque é desaforo né??!!

 

 As casas – quase  no final da trilha avistamos uma megaconstrução com paredes de vidro e espelhos d’água, que pensamos ser um spa, resort ou coisa parecida, mas era apenas e tão somente uma casa de praia! Um imóvel básico nesse condomínio vale vinte milhões de dinheiros (veja o anúncio aqui)
  
 
 
 

Transporte coletivo no Condomínio Laranjeiras

 

  • Os veículos – o intervalo entre pousos e decolagens no heliporto é infinitamente menor que o dos trens do metrô na Estação Sé na hora de pico!
  • 

 DADOS HISTÓRICOS:

A região de Laranjeiras já foi habitada pelos índios Tamoios, inimigos dos portugueses e aliados dos piratas e corsários franceses, ingleses e holandeses. Tempos depois abrigou a sede de uma grande fazenda produtora de aguardente que se estendia até as praias de Trindade. A Fazenda Laranjeiras era o local de moradia de 20 famílias nativas que viviam da pesca e principalmente da lavoura, isoladas devido ao difícil acesso, segundo informações de historiadores. Atualmente a Vila Oratório concentra 171 famílias e cerca de 580 pessoas. A população da Vila é jovem: 66% têm menos de 30 anos.

Maaaaaaaas, de um modo geral, sobre qualquer história existem dois possíveis diagnósticos: ou ela é uma mentira inventada por alguém que não estava lá,  ou é a versão do vencedor (o que vem a dar no mesmo, rs!). Em nome da “pretensa imparcialidade da informação” resolvemos dar crédito aos dois lados: 

A VERSÃO DOS VENCEDORES:

Uma incorporadora adquiriu o direito de posse dos moradores da Fazenda Laranjeiras e, além do valor da indenização, oferecendo a cada família uma casa com melhor infraestrutura e saneamento básico no vale que mais tarde se tornaria a Vila Oratório. Em mais de quarenta anos de existência, o condomínio têm contribuído ativamente para o desenvolvimento socioeconômico da comunidade local, através da geração de 300 empregos diretos e o empreendimento de diversas ações voltadas à saúde, lazer e cultura da população, beneficiando-a  inclusive, com o direito de uso de algumas dependências, como é o caso das marinas. A administração impõe aos condôminos, rígidas normas de preservação ambiental com o objetivo de minimizar os impactos e promover a sustentabilidade na relação entre o homem e a natureza. São distribuídas gratuitamente pulseiras ecológicas no intuito de controlar o acesso  e evitar o turismo predatório na região de Laranjeiras até Ponta Negra. 

A VERSÃO DOS VENCIDOS:

“Na década de 70, chegaram  oferecendo uma pequena quantia em dinheiro e uma casa para quem morava na praia”, Muitos não aceitaram, mas com tratores ameaçando passar por cima da casas, bombas e jagunços armados que estupravam as mulheres, os moradores não tiveram outra opção a não ser sair”, conta  Elvis Maia, presidente da Associação de Moradores de Vila Oratório.

O Condomínio deliberadamente: restringe o lazer da comunidade em suas quatro praias; impede a passagem de pescadores até o rancho onde são guardados os barcos; proíbe o embarque de determinados itens (por exemplo, materiais de construção) nas embarcações dos caiçaras da Praia do Sono e Ponta Negra (note-se que não há estrada e eles não tem outro meio de transporte de carga); assedia moralmente os funcionários em retaliação às manifestações da comunidade.

 DENÚNCIAS NA NET

 A extinção do pirão 

Elite oprime caiçaras 

Vizinhos ameaçadores

O RESUMO DA ÓPERA

A trilha requer atenção e deve ser feita principalmente em dias secos;

A praia é pública, mas se vcs não forem nenhum magnata ou pelo menos hóspede de algum, não terão o direito de se sentar à sombra das tais “amendoeiras” pois elas são o limite da propriedade do condomínio;

Ah! E não pisem com esses pés pobres naquele gramado onde todas as folhas são do mesmo tamanho e tonalidade, vcs podem perder até as calças numa ação judicial por invasão de propriedade particular, quase aconteceu conosco;

Em nossa rápida passagem pelas ruas do condômino (chamadas de picadas) quando voltamos da Praia do Sono, não conseguimos enxergar nada que justificasse  o blá blá blá da sustentabilidade: nenhuma lixeira para coleta seletiva, nenhum painel de captação de energia solar, nem a tal da pulseira ecológica nós ganhamos.

Os seguranças não foram grosseiros conosco, mas é nitidamente perceptível que a presença de um único pobre causa preocupação e mal estar aos condôminos.

Qual lado tem razão? Não sabemos, mas gente, falando sério, quando foi que a corda arrebentou do lado mais forte?

Bjo gente!!!!

Super lama autocolante nos pés e deslizante no chão!!!

Foz do Iguaçu – Parque das Aves

13 dez


Parque das Aves – Foz Tropicana

Gente, pensa em 3 pessoas desesperadas!!!

15 horas no buzão acabou com o nosso tempo, já era  domingo  e ainda havia tanta coisa pra ver!!!

A escolha justa seria não ir embora no dia seguinte, ahahahahaha!!!! Mas como essa era a única opção que não tínhamos, o jeito foi acordar cedo, engolir o café-da-manhã, andar apressados pela rua e de um lado para o outro no ponto de ônibus. É! Um ansiolítico qualquer teria ajudado bastante!

Nós  tínhamos planejado conhecer o Parque das Aves e fazer o Macuco Safari (aquele rafting suicida) nas Cataratas Argentinas , um roteiro bem modesto considerando os 32 km que separam os dois pontos!

Ah gente! O que é aquilo??? É tudo de fofo!!!!!

 

Pra começar:  é o maior parque de aves da América Latina!

O parque está localizado em uma área de 16,5 ha, e destes, são 4 ha de viveiros e instalações e o restante utilizado como área de proteção ambiental. Dois dos viveiros (“Floresta” e “Pantanal”) alcançam 630 m² de área (mais ou menos 4 quadras de vôlei) e 8 m de altura.

Olha só que imenso, esse é o Viveiro Pantanal

É tudo de imenso!!! E o mais legal é que você pode entrar em alguns viveiros, o acesso  é feito por meio de corredores com portas duplas, para impedir que as aves mais espertas consigam fugir. Os tucanos, por exemplo, mais acostumados às pessoas, fazem vôos rasantes sobre os turistas e costumam brincar com objetos deles, como canetas e chaves. 

Pra continuar: São mais de 1100 aves de 135 espécies !!!

Gente, pensa em cores: tem arara azul, arara vermelha, arara amarela (arara-juba), arara vermelha e azul, etc. E os tucanos? De bico amarelo, de bico preto, de bico verde, tem até tucano que nem parece, mas que pertence à família Ramphastidae e é tucano de verdade, como o bonitinho aí embaixo:

Araçari-poça, bem menos popular que seus outros primos Tucanos

A trilha  que percorre o parque tem 1.300 metros de extensão, em cada viveiro há placas de identificação com o nome popular e científico, região procedente, se há presença de  filhotes ou ameaça de extinção.

Tucano de bico verde

É tudo de colorido!

A fauna é bastante diversificada, são 22 viveiros de  aves predominantemente brasileiras, mas também há ilustres representantes da África, Ásia e Austrália. E como se não bastasse tudo isso de pássaros, há também o viveiro dos sagüis, lago dos jacarés (e tartarugas), viveiro das sucuris e viveiro das jibóias.

E por falar nas jibóias, quem quiser (e tiver coragem, rs!) pode tirar foto abraçadinho com elas. O povo forma aquela fila imeeeensa (porque o povo adora fila né?!) para fazer a bichona de colar pelo tempo de  dois ou três flashes. Olha só a Ju, até parece uma apresentação de dança do ventre né?!

Pra quem acha que cobra é radical demais, em uma outra fila… (o parque é lotado mesmo!), tira-se foto com uma simpática arara vermelha pousada no braço. Cada animal pode ficar exposto por no máximo 30 minutos, porque esse negócio de passar de pescoço em pescoço e de braço em braço os estressa. O time de modeletes das araras e parentes próximos tem 18 indivíduos e o das jibóias 12. Os técnicos substituem os animais e assim sai todo mundo feliz: as celebridades animais menos estressadas  e  o povo que foi fotografado feliz da vida.

Há um viveiro de borboletas e beija-flores que é uma graça, gente! É  um viveiro de pequeno porte, com a altura normal de uma casa,  repleto de plantas floridas e garrafinhas de água doce.  Os beija-flores normalmente tão ariscos, dão vários razantes na cabeça do povo e param a milímetros da gente.

É tudo de lindo!!!

Tão pertinho!!!

Pra terminar: Sua principal função é a conservação e reinserção dos animais em seu habitat natural!

Claaaaro que o parque  não é exatamente uma entidade filantrópica, e honrando os princípios do capitalismo, como qualquer floricultura, banco ou padaria pretende obter lucro expondo as aves à visitação e vendendo lembrancinhas, até aí tudo bem, nada de novo no front: as opções são pagar ou se aventurar pelo mato procurando passarinho. Ah! Não vale tico-tico, pardal, bem-te-vi e sabiá, tem que ser pelo menos um papagaio de cara roxa ou um mutum cavalo! Demora né?!

Então gente,  o diferencial são ações conjuntas com universidades e órgãos governamentais, desenvolvendo projetos  educacionais, fomentando a  pesquisa científica principalemente direcionada para a reprodução em cativeiro.

Valendo-se de recursos criativos e inusitados a equipe técnica procura recriar no viveiro todas as condições do habitat natural da ave, como no caso dos flamingos.Eram apenas 16 indivíduos no parque, como esses animais só se reproduzem em grandes bandos, foram dispostos  espelhos entre eles para simular uma quantidade maior.  Há muitas outras histórias de sucesso: espécies com dificuldades para procriar em cativeiro, como tucanos e  papagaios-da-cara-roxa, inclusive a temperamental ararajuba  que nunca antes havia se reproduzido em cativeiro, hoje exibem orgulhosamente seus rebentos.

Microcâmeras foram instaladas no ninho de tucanos, não só os ornitólogos acompanham  o comportamento das aves nesse período, os visitantes também podem observar o comportamento das aves nesse período,  os visitantes podem também observar o que acontece dentro dos ninhos. Os animais em cativeiro oferecem informações valiosas sobre a fauna.

O que vocês precisam saber para irem também

Dicas:

*é do ladinho das Cataratas, se você for de ônibus (Aeroporto) deve descer no penúltimo ponto, mas nem se preocupe porque o motorista/cobrador grita (mas GRITA meeeeeeesmo, rsrsrs)  ao chegar;

*Algumas pousadas concedem desconto na entrada do parque, não é o superdesconto, mas qualquer real a menos é uma vantagem né gente.

* Leve repelente que os mosquitos são vorazes.

Na Foz Tropicana, aves e répteis apreendidos pelo IBAMA e Polícia Federal, recebem abrigo e  cuidados especiais. Aqueles que se recuperam e apresentam condições de sobreviver, são reintroduzidos em seu habitat, mas infelizmente na maioria das vezes isso não é possível: a ignorância de quem incentiva o tráfico de animais silvestres e a ganância e crueldade de quem faz disso um meio de vida tornam essas cenas cada vez mais comuns.

Se o seu bicho de estimação é um animal silvestre, isso também é culpa sua

Esses filhotes foram mortos pelas pessoas que compram tartarugas na feira, saguis às margens de rodovias ou que encomendam papagaios para motoristas de caminhão.

Gente, fala sério: animal de estimação é tudo de bom, mas não um animal silvestre,  tem tanto cachorro e gato abandonado precisando de um dono.

Nós não queremos ser co-autores desses crimes, nem vocês né?

É tudo de triste!

Bjos gente!

SWU – We’ve been there!!!

22 out

 

 

Viagem limpa!

Oi  gente!!!!

Claro que nós não podíamos faltar: viagem e música de qualidade. Melhor ainda se parte de uma iniciativa sustentável!!!

Como nossa simplória situação financeira não nos permitiria jamais curtir os três dias de shows, escolhemos o  domingo (10/10), principalmente pelo “Sublime with Rome” e “Dave Matthews Band”.

Cheio, muuuuuuuuuuuito cheio!!!

Tudo bem que o evento foi transmitido em vários canais, amplamente divulgado e todo mundo já tá pensando na edição 20111, mas já que todo mundo falou nós também queremos falar (mesmo tendo visto apenas  1/3 do filme deu pra deduzir o final),  rsrs!

 PRIMEIRISSIMAMENTE: NOSSA MODESTA OPNIÃO SOBRE O TUDO DE BOM DO FESTIVAL:

 Flávia – Olha gente:  Sublime foi bom, Joss Stone  foi uma agradável surpresa, mas cada centavo do que eu gastei nessa brincadeira (±R$ 200,00) foi reembolsado com juros pelo show do  Dave Matthews Band, o tudo do tudo, do tudo, do tudo….

 

DMB - Fantásticos!

Juliana –  Concordo, tudo muito bom. Mas a minha maior surpresa foi a Joss Stone. Gente, a mulher é apaixonante. Sério – linda, gentilíssima, esvoaçante, simpática e com uma voz maravilhosa; Dave Matthews já era uma paixão antiga, só confirmei a impressão dos cds; Eric, meu namorado, foi mesmo para ver Sublime, e adorou. Achei muito bom, mas confesso não ser tão mega fã.

Joss Stone: Mega surpreendente!

AGORA NOSSA MODESTA OPNIÃO SOBRE O QUE NÃO FOI LEGAL:

Qual  era ?

SWU (Starts With You – Começa Com Você) é um movimento de conscientização em prol da sustentabilidade que tem o intuito de mobilizar o maior número possível de pessoas em torno da causa, mostrando que, por meio de pequenas ações, com simples atitudes individuais do seu dia a dia, é possível ajudar a construir um mundo melhor para se viver. O movimento nasceu da iniciativa de Eduardo Fischer, presidente do Grupo Totalcom, e parte da convicção de que pequenas atitudes podem gerar grandes mudanças.

Qual foi!

A proposta virou uma promessa não cumprida.

A Totalcom (primeira multinacional brasileira do ramo da comunicação) utilizou subsídios  de 4 dos seus maiores clientes (Coca-Cola, Heineken, Nestlé e Oi), além do benefício da Lei Rouanet que concedeu  incentivo fiscal de R$ 6 milhões para a realização do megaevento. Para o seu próprio bem e também dos patrocinadores, ela precisava garantir o  retorno dos investimentos  através da presença do público pagante e aí vale tudo: divulgação,  preços exorbitantes, monopólio de marcas e todos esses truques do capitalismo.

E o que tem de errado nisso?

1 –  Nada ué, é uma estratégia do sistema e não há nada de ilegal nisso: vai quem quer (aqui cabem os protestos anarquistas/socialistas/comunistas, ahahahahaha!!!!)

2 – Nada ué,  é uma boa prática de responsabilidade socioambiental adotar o conceito da sustentabilidade nas relações comerciais, neutralizar as emissões de carbono,  minimizar os  impactos ambientais  do descarte de resíduos sólidos derivados da realização do evento,  divulgar conhecimento e promover ações de educação ambiental.

Então do que nós estamos reclamando?

DA PROPAGANDA  ENGANOSA CARAMBA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O SWU teria alcançado o mesmo resultado caso tivesse se vendido apenas como o primeiro megafestival do Brasil, as pessoas foram lá por causa da música.

Gente, olha bem essa foto : presta atenção na quantidade de lixo no chão e fala se esse  público  era formado por 164 mil ativistas ambientais?

Público super preocupado com o meio ambiente

Se o público não tava nem aí para os impactos ambientais então por que a Totalcom  ergueu a bandeira da sustentabilidade?

Para agregar valor e jogar o preço dos ingressos e produtos lá em cima.

E onde é que tá o engodo disso?

Em assumir um compromisso público de sustentabilidade e mobilização (leia as falsas promessas no site oficial do S.W.U) e não cumpri-lo, aplicando conceitos parciais e fixando objetivos unilaterais (do lado da empresa, claro).

As evidências que comprovam (nossa) teoria da exploração:

Segundo os números divulgados no site, o evento gerou 30 toneladas de resíduos que foram separadas e destinadas à Usinas de Reciclagem. Nós fazemos questão de ressaltar alguns pontos:

1 – Nem todo resíduo  separado é necessariamente reciclado – existe a categoria dos não recicláveis (materiais misturados,  orgânicos, etc), então obviamente não foram reciclados 30.000 kg de resíduos;

2 – Reciclagem é a última opção para um resíduo porque implica em sobrecusto de recursos naturais (gasto de energia e água utilizada num re-processo);

3 – Nas tendas de alimento, a cerveja em lata e a coca-cola em pet de 600ml era servidas em copos plásticos (eles nem perguntavam se você queria  sua bebida no copo ou na lata/garrafa), logo deduz-se que os fornecedores não foram tão bem treinados nos conceitos sustentáveis;

4 – A frase: “… foram destinadas à usinas de reciclagem.” Não especifica se as tantas toneladas foram doadas à cooperativas de catadores ou se a renda foi revertida para a própria administração do evento.

Isso tem outro nome além de expoliação?

Gente, um dos pilares da sustentabilidade é o consumo consciente, além da aplicação dos 3R’s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), mas esse conceito  deve ser aplicado a toda cadeia, da produção ao consumo, não dá pra ser  50% sustentável .

Todas as mochilas foram revistadas e a entrada de alimentos proibida (quem acampou durante os três dias não pode sequer cozinhar), todo alimento consumido tinha que ser comprado lá. O tal do Eduardo Fischer (o messias da sustentabilidade da Totalcom) disse numa entrevista ao portal do G1 que  a medida foi por segurança alimentar. “Não é questão de querer ganhar dinheiro. Nós somos responsáveis por quem passa mal aqui dentro, não podemos deixar entrar comida que não sabemos da onde veio”.  Olha só, falando assim ele não parece com a mãe da gente? Tão preocupado com nosso bem estar!!!!!

Vc olha a tabela e pensa: ah é o preço mesmo!

Nunca ouvimos dizer que um dono de camping pudesse ser processado por um campista por causa de uma diarréia qualquer ! Mas de qualquer forma, se saúde é importante (e realmente é!)  por que não oferecer comida de verdade em vez de fast-food? Isso já é muito comum nas raves.

Daí vc olha o lanche e grita: PQP!!! É enriquecimento ilícito!!!

O site apresenta como sua missão “mobilizar e incentivar, com pequenos gestos, a  construir um futuro melhor”. Pois bem, os gestos foram tão pequenos, mas tão pequenos que quase não se percebe:
    3000 pessoas participaram dos 3 dias de forum (menos de 2% do público pagante);
    Artes,  geradores e telhados verdes estavam expostos (leia-se “largados”) no meio do espaço mas não havia nenhum programa de acompanhamento. A coisa estava mais pra “fotografe se quiser, mas não me venha querendo saber para que serve ou quanto custa ao meio ambiente”.

Das mais de 200 mil pessoas esperadas, só 164,5 mil apareceram,  e o pior é que a grande maioria ficou muito desapontada com o evento, como resultado o Twitter e vários blogs  ferveram contra o festival. O portal do G1 ainda teve a moral de classificar os shows como SUSTENTÁVEIS, BIODEGRADÁVEIS E INSUSTENTÁVEIS (uma opinião bastante parcial, mas  deveras engraçada, rsrs).  Ainda naquela entrevista, o Fischer fala entre outras coisas que: “Algumas pessoas não entendem o conceito de sustentabilidade direito. Sustentabilidade é continuar fazendo as mesmas coisas que você faz, mas de uma maneira menos impactante. Qual a tecnologia que tem para trazer água para tanta gente melhor que a garrafa pet? Tem pet, mas tem reciclagem”, defendeu. “Se a gente tivesse colocado bebedouros, teria gente reclamando de falta de higiene”.

Além de pérolas como essa,  ele insiste em divulgar que o evento cumpriu sua proposta. Gente, notem bem que  nós não estamos reclamando de filas, de trânsito, de atrasos e coisas que podem ocorrer num evento desse porte, nosso problema é  a filosofia de boteco que eles estão pregando como ideologia,  que aos nossos ouvidos soa muito mais como um escopo de certificação ISO 14001 ou SA 8000!

Pelos padrões dele concluimos que  nós não entendemos direto o conceito de sustentabilidade, mas mesmo assim  deixamos um recado na pesquisa de satisfação que está disponível no site do SWU.

Tomara que ele entenda e a edição 2011 seja realmente sustentável! Bjo gente!

Aventuras Especiais

23 set

Para todos, sem excessão

Para todos, sem excessão

Olha que coisa  maravilhosa gente: vocês sabiam que existe ecoturismo para Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais – PPNE? Não é o máximo??? Nós não sabíamos!!! Descobrimos lá no Parque Estadual do Jaraguá,  fazendo a Trilha do Silêncio, que é totalmente adaptada para atender PPNE. A trilha é praticamente plana, possui corrimão e  rodapé,  placas em braile com informações sobre a fauna e flora local e certamente é mais fácil para um cadeirante percorrer essa trilha do que qualquer calçada da cidade.

Acessibilidade

Acessibilidade

No mesmo parque há uma outra trilha sendo adaptada para atender às necessidades deste público especial , a Trilha da Bica, que já está fechada há 5 meses.

Ficamos realmente sensibilizados com essa iniciativa porque olha que a gente se mete em tanto mato, trilha, caverna, montanha, pedreira e etc. sem nunca ter visto nada parecido, daí resolvemos pesquisar o assunto e olha isso: na verdade o Decreto Federal 5296 de 02/12/2004 estabelece que até dezembro/2008 todas as  empresas, comércio e órgãos públicos deveriam estar totalmente adaptados a garantir a acessibilidade de pessoas com deficiência ou  mobilidade reduzida. Obviamente isso inclui parques estaduais e unidades de conservação.

Inclusão

Inclusão

Sim, sim! Nós sabemos que quase um ano depois de o decreto se fazer obrigatório essa acessibilidade não está garantida, que há uma grande tendência nacional a identificar os direitos dos cidadãos  como oportunidades de negócios,  mas sejamos otimistas: tá no caminho!!!

  • Eldorado-SP já desenvolve um plano de Exploração Adaptada para a Caverna do Diabo (13) 3871-1552 ou (13) 3871-1759
  • Em Foz do Iguaçu-PR, todas as trilhas do Parque Nacional do Iguaçu são acessadas também por rampas ou elevadores e há  infraestrutura adequada às PPNE – 0800.451516 ou (45) 3521-4400
  • Em Bonito-MS todas as atividades oferecidas ao público em geral também são voltadas aos portadores de necessidades especiais: rapel, tiroleza, flutuação no rio Sucuri, rafting  e por aí vai …(67) 3255-1449
  • O Parque dos Sonhos em Socorro-SP, reune infraestrutura para a realização de atividades por PPNE em árvores, cachoeiras, rios e montanhas – (19) 3955-2870

Além disso  algumas instituições desenvolvem projetos direcionando a prática dos esportes de aventura como forma de reabilitação:

  • ONG Aventura Especial – são oferecidos cursos de capacitação de monitores e guias para PPNE, cadastramento de voluntários, parcerias com secretarias municipais para o desenvolvimento do ecoturismo adaptado, palestras de motivação e a realização de muitas outras atividades.

Fundada por um grupo de amigos dispostos a vencer suas próprias limitações, a ONG tem caráter social, sobrevivendo de                    doações e promovendo eventos gratuitos. Nas páginas do site é possível obter indicações de roteiros, operadoras especializadas, monitores,  guias e voluntários, além de ter acesso às histórias reais de pessoas que encontraram no turismo de aventura motivo para não desistir.

  • Surf Especial – Projeto Mão na Borda, ensina surf adaptado na Praia da Baleia, em Ubatuba-SP, desenvolve projetos em parcerias com empresas e órgãos públicos. Fundada por um surfista que não renunciou ao seu esporte mesmo depois de um acidente automobilístico, busca a aproximação do PPNE dos esportes de aventura, além do desenvolvimento de atletas e criação de grupos e categorias do esporte adaptado.
Superação
Superação

Olha bem ess essa foto gente! Você  aí que tem plena capacidade sensorial, cognitiva e intelectual (etc, etc, etc…), que possui pernas e braços perfeitos e a quem não falta nem uma unha do dedinho, fala sério: será que assim como nós, você não fica nem um pouquinho envergonhado dos seus dramas e medos?

Nós estamos morrendo de vergonha!

Bjs!

Presentear Experiências

12 maio

Geeeente!!! Olha só pra isso:

Boiacross no Petar

Boiacross no Petar


Que tal presentear alguém com um rafting, um rapel ou uma tirolesa?
Ahhh!Tá bom, para os mais sossegados você pode oferecer um dia num spa urbano!
Até aí normal né? Bem vamos às diferenças:
1. Você compra o pacote e a pessoa recebe um guia com 790 opções de roteiro e sem data pré-determinada
2. O preço!!! É muuuuuuuuuito mais barato!

O que é?
Smartbox
Nada mais que uma operadora gringa que centraliza as atividades de agencias de turismo em vários países.

Como funciona?
As atividades são classificadas por temas: Aventura, Bem Estar, Para Ele, Para Ela, Para Eles ou Especiais como Dia das Mães.
Você escolhe o box pelo valor e tema e faz o pagamento via cartão. daí o presenteado recebe um vale-pacote (que eles chamam de PRESTAÇÃO), entra em contato com a agência e agenda o evento.

Vantagens??? É seguro???
Como vamos para São Luis do Paraitinga, eu estava pesquisando preços de rafting: as agências locais cobram R$ 68,00 pelo de Nível II com duração de 2 horas e R$ 104,00 pelo Nível III com duração de 5 horas.
Já na “santa” Smartbox eu encontrei
1. Pacote (PRESTAÇÃO) por R$ 49,00 onde você opta pelo rafting de 3 horas ou um rapel na cachoeira pela Canoar Rafting e Expedições (11.2856.5777)

E
2. Pacote (PRESTAÇÃO) por R$ 49,00 de trekking por trilhas da região pela Cia do Rafting.
Claro que eu liguei para essas agências para confirmar a veracidade dos fatos e, minha gente: é real, sem taxa adicional, nem pegadinha, é só agendar a data!!! Na Cia do Rafting há a possibilidade de trocar o trekking pelo rafting, não é demais???

Então, já sabem: Tente adaptar um box interessante à sua viagem, ou faça uma viagem interessante pra adaptar ao seu box!!!
Ah! E a partir de agora eu só aceito esse tipo de presente tá?!!!