Arquivo | Região Sul RSS feed for this section

Dois dias, três estados!

25 out

Olá viajantes!

No começo da viagem, a coisa foi meio corrida, verdade. Estávamos apreensivos: era muito espaço para percorrer em pouco tempo!

Como o destino final era o litoral do Uruguai, não reservamos hotéis nem pesquisamos muito sobre o caminho. E esse é um erro que vocês podem corrigir em seus planejamentos!

São Paulo-Lages

E lá vamos nós para o primeiro dia de viagem!

Primeiro dia: Curitiba/PR e Lages/SC

Saímos de São Paulo (zona norte) em 1º de outubro, por volta das 8h30. Como saímos tarde, acabamos pegando um pouco de trânsito até a Rodovia Régis Bittencourt (BR 116). O plano era almoçar em Curitiba e dormir na cidade mais distante que pudéssemos alcançar – dormimos em Lages/SC. O custo dos pedágios até Curitiba/PR é de R$ 10,80 (6 pedágios de R$ 1,80), e de lá até Lages/SC é de R$ 16,50 (5 pedágios de R$ 3,30).

De acordo com o Google Maps, são 769km e o tempo de viagem é de quase 10 horas. Como nós paramos para almoçar e fizemos mais umas paradas para esticar as perninhas, chegamos à Lages por volta das 22h.

Usamos o GPS para achar hotéis, mas não deu muito certo. Dormimos no hotel IBIS de Lages, que é na primeira avenida entrando na cidade, por R$ 129 a diária, sem café da manhã. O valor e as fotos no site condizem com a realidade – o atendimento é meio frio, mas não deixa nada a desejar; como no hotel não se serve jantar, eles ofereceram uns folhetos de lugares que entregam comida e emprestaram pratos e talheres; as tomadas estão no novo padrão brasileiro, então LEVE BENJAMINS! Esquecemos os nossos, mas o recepcionista do hotel nos emprestou um para carregar as baterias das câmeras. 🙂

No dia seguinte, carro abastecido, baterias recarregadas e corpinhos descansados, partimos de Lages às 8h30 com destino à nossa próxima parada, Rio Grande/RS.

Muita terra e muita água para atravessar!

Segundo dia: Caxias do Sul/RS e Rio Grande/RS

O roteiro do segundo dia tinha 652 km, a serem percorridos em 8 horas e meia. A idéia era almoçar em alguma das cidades do caminho, para não perder tempo saindo de perto da BR116.

O problema é que já era muito tarde quando decidimos parar para almoçar (por volta das 15h), e quase todos os restaurantes pelos quais passávamos estavam fechados! Andamos bons quarteirões dentro da cidade para conseguir achar um lugar para almoçar. Mas a nossa teimosia paulista era maior. Achamos!

O restaurante chama-se BAURU, está na Rua Luiz Michielon nº 2060, em Caxias do Sul/RS. O telefone, se precisarem, é (54) 3212-1542 (achei no Google Street View! Fiquei mega feliz! rs).

O dono nos disse, meio sem jeito, que ainda tinha um pouco de comida, mas que precisaria ir buscar arroz em um vizinho pois o seu havia acabado. Nos disse que só servia prato feito e que o prato custava R$ 12. Como “para quem não tem nada, a metade é o dobro”, aceitamos de bom grado o prato feito. Cerveja Polar para os meninos e Coca Cola KS para as meninas.

Prato feito gaúcho e cerveja Polar! 😉

Aí está a foto do prato feito: arroz, feijão preto, repolho refogado, polenta, macarrão com molho bolonhesa, bife, salada de batatas e salada de alface, tomate, pepino e beterraba, um atendimento bacana e comer até estufar por R$ 12,00, e ainda com wi-fi grátis. Achamos fantástico!

Depois do almoço maravilhoso, corremos para Rio Grande. Chegamos tarde, verdade (por volta das 22h30). Mas desta vez fomos mais espertos e procuramos hotel ainda na hora do almoço. Dormimos em um Hotel, que já foi um Motel, chamado “Amor Gaúcho”! Quando ligamos, a atendente disse “Hotel Gaúcho, boa tarde!”, mas em todos os sites e no Booking, o hotel consta como “Amor Gaúcho”.  🙂

Amor puro! 😉

Vou colocar as resenhas, preços e dicas dos hotéis no nosso Guia de Hospedagem, tá?

Achamos o hotel através de um aplicativo para celular, o Booking.com, que vocês também podem acessar por aqui. Aliás, através do Booking, além de achar os hotéis da região, dá pra fazer a reserva com pagamento através do cartão de crédito. Um “adianto”! rs

Jantamos lanches maravilhosos no Mister X (endereço aqui) – atenção: lanches imensos! Um lanche alimenta duas pessoas tranquilamente! Ó:

Um mega lanche. Bem maior do que a minha fome! :-O

Depois de um dia inteiro de viagem e um lanche desses, fomos dormir né?! Ninguém é de ferro! rs

Anúncios

Viajar pela América Latina de carro: ‘bora?

22 out

Olá viajantes!!!

Estava com saudades de TER O QUE POSTAR aqui! Faz mais de um ano que eu não escrevo para vocês, mas os feriados prolongados têm sido raros e falar escrever de novo sobre os mesmos lugares não inspira muito, né?!

Aproveitando as férias, decidimos fazer um roteiro mais longo e bem inusitado: uma viagem de carro até o litoral do Uruguai! Partimos de São Paulo em 01 de outubro e voltamos dia 13 de noite.

O roteiro foi mais ou menos esse:

Roteiro da viagem

Roteiro de viagem: lá e de volta! 🙂

::Preparativos para a viagem::

  • DEFINA BEM O SEU ROTEIRO

Em uma viagem tão longa há sempre muita coisa para ver e fazer. Se o seu tempo é limitado, como o nosso, faça um roteiro incluindo os lugares que quer ver e as coisas que quer fazer; considere também que condições climáticas adversas e cansaço atrasam um pouco a viagem – é bom deixar umas horas de intervalo entre uma atividade/lugar e outra (o).

Se for dirigir sozinho, calcule no primeiro dia quantas horas consegue dirigir por dia e, se necessário, refaça o roteiro. O objetivo da viagem é aproveitar e para isso você vai ter que estar inteiro quando chegar aos destinos! 🙂

  • TENHA MAPAS E CALCULE OS CUSTOS!

Bomba e valores de gasolina uruguaia.

Os GPS são muuuito úteis, mas nem sempre atualizados; o Google Maps ajuda, mas nem sempre tem sinal 3G… Portanto, tenha mapas e guias impressos com você – são muito úteis.

Depois de definir o destino e comprar os mapas, faça o roteiro com a ajuda deles. Dê uma boa olhada nas estradas e leve dinheiro para o pedágio.

Nós usamos o Guia Rodoviário 4 Rodas , que você pode achar nas livrarias. Ele indica as estradas principais, com os locais de pedágio e posto da Polícia Rodoviária. Também dá pra calcular os custos, as distâncias e os valores de pedágio no site MAPEIA.

Uma observação: não se esqueça de calcular o consumo de combustível! Em alguns trechos da estrada, não tem posto de combustíveis. No Uruguai, além de NÃO TER ETANOL, a gasolina é CARA!

UMA IDÉIA: Você tem cartão de crédito? Seu cartão tem algum programa de milhagens, pontos, etc.? Usa o cartão para abastecer o carro? Se não faz, faça!!!

Os meus cartões de crédito dão pontos, trocados por milhagens, que podem ser trocadas por Pontos Multiplus, que por sua vez podem ser trocados por Vale Combustível IPIRANGA! Parece complicado, mas não é! E posso dizer que economiza um tanto de dinheiro! 😉

Não é propaganda, não, viu gente! Essa foi uma forma que encontramos para baratear a viagem!

Se você não tem cartão de crédito, pode se cadastrar no programa Quilômetros de Vantagens, dos Postos Ipiranga, e ir acumulando “Km”, que podem ser trocados depois por prêmios, vales-combustível, etc. Além do fato que a rede de postos Ipiranga é mega forte na região Sul.

A rede Petrobrás também tem um cartão de fidelidade, mas sobre esse eu não tenho informações.

  • CARTA VERDE

Existe um acordo feito entre os países da América do Sul que diz que, para todos os veículos que cruzam as fronteiras, deve ser feito um seguro chamado “Carta Verde”. Caso você já tenha seguro de veículo, pode consultar com a seguradora se eles emitem a Carta Verde; se não tem, pode contratar só a Carta Verde, por um determinado período de dias. Neste site aqui, por exemplo, o valor para 15 dias é de R$ 146,00. Pesquise!

  • DOCUMENTAÇÃO

Por um acordo do Mercosul, não é necessário portar passaporte, mas os documentos de identidade deve ter sido emitidos há menos de 10 anos.

No Uruguai, a Carteira de Habilitação NÃO É ACEITA como documento de identidade, então esteja certo de portar o RG, e a CNH só se for dirigir.

Na Argentina, desde 11/2009, a CNH é aceita como documento de identidade para quem atravessa a fronteira por Foz do Iguaçu, mas somente por 72 horas (acordo feito para desburocratizar o turismo no “Corredor Turístico Iguaçu”).

Para o Uruguai e Argentina, não são exigidas vacinas no momento. Se for para algum outro país, consulte.

No caso dos carros, o documento deve ser original e o proprietário deve ser o motorista, ou estar entre os passageiros.

Se quiser levar o bichinho de estimação, pode, mas precisa de uma autorização – o Certificado Zoossanitário Internacional. Quem emite é o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

  • LEIS DE TRÂNSITO

Já escolheu para que país (es) vai? As leis de trânsito variam de país para país, então é bom se informar sobre os requisitos.

No Uruguai e na Argentina, por exemplo, você deve andar com os faróis acesos nas estradas, mesmo de dia; na Argentina, você deve ter extintor de incêndio, 2 triângulos no carro, um kit de primeiros socorros e um cambão ou cabo de aço, além do lance dos faróis acesos.  Li em um site que também é proibido ter engate no carro, mas não consegui confirmar. Nos sites dos consulados, constam as regulamentações e requisitos. É bom dar uma olhada!

Ouvimos muitas histórias e lemos alguns comentários negativos sobre a Polícia Rodoviária do Uruguai, mas não tivemos nenhuma experiência (positiva ou negativa), então não posso comentar nada. Mas todo cuidado é pouco, né?!

  • CONFORTO!!!

Lembre-se que são muitas horas de estrada e que, nos momentos em que você não está dirigindo, não tem muita coisa para fazer. Livros, tablets, revistas, tudo é válido para distrair. Faça uma mega playlist para o som do carro e peça para os seus acompanhantes fazerem também! Dirigir ouvindo música é muito mais agradável, ainda mais quando todo mundo no carro está dormindo e você está com sono. Só não se esqueça que o espaço do carro é limitado e que muitos objetos diminuem ainda mais o conforto.

Terminados os preparativos, sorriso no rosto e pé na estrada! No próximo post, começo a contar a nossa aventura! 😉