Tag Archives: dicas de viagem

Punta Del Este – o luxo!

17 out

Olá viajantes!

Imagem

Patrícia Porter e uma noite de tranquilidade! 😉

Após a visita ao Cabo Polonio, jantamos e compramos algumas cervejas Patrícia (tínhamos que experimentar a cerveja local, como não?! rs). As cervejas Patrícia são encontradas em qualquer posto de gasolina, supermercado, boteco e vendinha. As garrafas, pelo jeito, não são retornáveis, o que nos permitia comprar mesmo sem ter um vasilhame para trocar. Ao final da nossa estadia, deixamos as garrafas para o dono do Hostel descartar e dormimos nossa última noite no Hostel Ibirapitá – havia muita coisa para ver, conhecer, experimentar, etc.

A idéia era passar por Punta del Este (porque, afinal, precisávamos ver do que todos estavam falando), pela capital Montevidéu, e seguir para Colonia del Sacramento. O plano era deixar o carro em Colónia, cruzar de balsa o Rio da Prata, que divide Uruguai e Argentina, e dormir uma ou duas noites em Buenos Aires.

Partimos por volta das 10h, com a idéia de almoçar em Punta del Este. Segundo o GPS (e o Google Maps), são 122 km pela Ruta 9, que podem ser cruzados em aproximadamente 1h40 min. Nós fomos muito mais devagar que isso, para aproveitar as paisagens e tirar fotinhos! 🙂

No caminho, casas e condomínios luxuosíssimos nos dão conta de onde estamos chegando. O bairro chama-se Parque Del Golf.

Casas e condomínios lindos

Casas e condomínios lindos

IMG_7938 IMG_7939 IMG_7941Perturbador, né?! rs

Fashion Road, centro de Punta del Este

Fashion Road, centro de Punta del Este

Punta del Este é mais ou menos o que Campos do Jordão representa para nós paulistas: uma cidade luxuosa, cheia de gente rica e lojas caras, que se tornou um dos destinos chiques da América do Sul.  Agora, além de beber vinhos caros no Chile e esquiar na Patagônia Argentina, você pode visitar a Fashion Road no Uruguai! 🙂

Lojas de todas as marcas, gente rica em todos os lados, shoppings, restaurantes finos… bom, nós nos sentimos pobres, claro. Ver uma vitrine com bolsas “Prada”, com a mais “barata” delas custando US$ 4.000,00 e não se sentir desvalido não é para qualquer um*!

*caso esteja interessado em saber mais sobre as lojas e os preços de Punta, achei um post bem legal nesse blog.

Descemos a rua procurando um caixa eletrônico onde pudéssemos sacar algum dinheiro (dólar ou peso uruguaio). Para quem é cliente Itaú, tem uma agência no final da rua. Encontramos agências do HSBC e do Santander por lá também – ressaltamos que independentemente do banco que você tem conta, o valor não pode ser sacado da SUA CONTA. Será sacado de um CARTÃO DE CRÉDITO INTERNACIONAL, com função de saque previamente habilitada. Não se esqueça de falar com o gerente de seu banco antes da sua viagem! Essa informação pode ser consultada aqui.

Enquanto procurávamos o caixa eletrônico, encontramos um restaurante giratório! Você pode fazer a sua refeição e admirar a paisagem de Punta, em 360º. O restaurante chama-se La Vista. Encontrei vários comentários no TripAdvisor e no Google, mas como não entramos no restaurante, não consigo lhes dizer como é o local. Os preços váriam de médio a alto e eles cobram US$ 8,00 caso você queria subir somente para admirar a vista e tirar fotos.

As ruas são limpas, têm lixeiras por todos os lados, os prédios são bonitos e mesmo os mais antigos são muito bem conservados; vimos raras pixachões; as construções são incríveis e um dos marcos da arquitetura moderna é a Ponte da Barra Leonel Viera, conhecida também como “ponte ondulada” ou “ponte torta”:

Ponte linda!

IMG_7907

E é muito engraçado dirigir nela!

Bandeira ao vento antes da entrada da ponte - :D

Bandeira ao vento antes da entrada da ponte

Depois do nosso rolê na cidade, da ponte incrível e das lojas chiques, finalmente fomos até o Posto 4 da Praia Brava, onde fica o monumento mais famoso de Punta del Este:

Monumento al Ahogado

Monumento al Ahogado

Chamado “Monumento al Ahogado”, a escultura foi feita em fevereiro de 1982 pelo artista plástico chileno Mario Irarrazábal. Demorou 6 dias para ficar pronta e, segundo o artista, a mão significa a presença do homem na natureza, o homem surgindo à vida. Também é conhecida como “Los Dedos” e  “La Mano”, e tem “irmãs” dela no Chile, na Itália e na Espanha. Não temos as especificações exaaatas, mas o maior dedo deve ter por volta 4,5 metros. Tinha algumas pixachões, mas a maioria à lapis ou caneta – nada que estragasse muito as fotos. É bem bonito, e praticamente obrigatório aos turistas tirar fotos lá pertinho!

Nesse dia, almoçamos uma milanesa e seguimos viagem, porque ainda tinha muitas coisas para ver e queríamos dormir em Montevidéo. Mais um pouquinho de Punta:

Calçada da Praia Brava, em frente ao monumento

Calçada da Praia Brava, em frente ao monumento

Uma das muitas lixeiras da Intendência de Maldonado

Uma das muitas lixeiras da Intendência de Maldonado – com baleia de símbolo 😉

Lá o carro chama-se Spark (versão sport)

Lá o carro chama-se Spark (versão sport)

A marina e os "barquinhos"

A marina e os “barquinhos”

Praça para feirinhas e exposições

Praça para feirinhas e exposições

A vista é espetacular! Procure os leões marinhos ;)

A vista é espetacular! Procure os leões marinhos 😉

Colocarei todas as fotos do Uruguai no link fotos, assim que terminar de escrever o roteiro todo, ok?

Criamos uma página no Facebook. Curtam lá! Até mais viajantes!

Anúncios

Viajar pela América Latina de carro: ‘bora?

22 out

Olá viajantes!!!

Estava com saudades de TER O QUE POSTAR aqui! Faz mais de um ano que eu não escrevo para vocês, mas os feriados prolongados têm sido raros e falar escrever de novo sobre os mesmos lugares não inspira muito, né?!

Aproveitando as férias, decidimos fazer um roteiro mais longo e bem inusitado: uma viagem de carro até o litoral do Uruguai! Partimos de São Paulo em 01 de outubro e voltamos dia 13 de noite.

O roteiro foi mais ou menos esse:

Roteiro da viagem

Roteiro de viagem: lá e de volta! 🙂

::Preparativos para a viagem::

  • DEFINA BEM O SEU ROTEIRO

Em uma viagem tão longa há sempre muita coisa para ver e fazer. Se o seu tempo é limitado, como o nosso, faça um roteiro incluindo os lugares que quer ver e as coisas que quer fazer; considere também que condições climáticas adversas e cansaço atrasam um pouco a viagem – é bom deixar umas horas de intervalo entre uma atividade/lugar e outra (o).

Se for dirigir sozinho, calcule no primeiro dia quantas horas consegue dirigir por dia e, se necessário, refaça o roteiro. O objetivo da viagem é aproveitar e para isso você vai ter que estar inteiro quando chegar aos destinos! 🙂

  • TENHA MAPAS E CALCULE OS CUSTOS!

Bomba e valores de gasolina uruguaia.

Os GPS são muuuito úteis, mas nem sempre atualizados; o Google Maps ajuda, mas nem sempre tem sinal 3G… Portanto, tenha mapas e guias impressos com você – são muito úteis.

Depois de definir o destino e comprar os mapas, faça o roteiro com a ajuda deles. Dê uma boa olhada nas estradas e leve dinheiro para o pedágio.

Nós usamos o Guia Rodoviário 4 Rodas , que você pode achar nas livrarias. Ele indica as estradas principais, com os locais de pedágio e posto da Polícia Rodoviária. Também dá pra calcular os custos, as distâncias e os valores de pedágio no site MAPEIA.

Uma observação: não se esqueça de calcular o consumo de combustível! Em alguns trechos da estrada, não tem posto de combustíveis. No Uruguai, além de NÃO TER ETANOL, a gasolina é CARA!

UMA IDÉIA: Você tem cartão de crédito? Seu cartão tem algum programa de milhagens, pontos, etc.? Usa o cartão para abastecer o carro? Se não faz, faça!!!

Os meus cartões de crédito dão pontos, trocados por milhagens, que podem ser trocadas por Pontos Multiplus, que por sua vez podem ser trocados por Vale Combustível IPIRANGA! Parece complicado, mas não é! E posso dizer que economiza um tanto de dinheiro! 😉

Não é propaganda, não, viu gente! Essa foi uma forma que encontramos para baratear a viagem!

Se você não tem cartão de crédito, pode se cadastrar no programa Quilômetros de Vantagens, dos Postos Ipiranga, e ir acumulando “Km”, que podem ser trocados depois por prêmios, vales-combustível, etc. Além do fato que a rede de postos Ipiranga é mega forte na região Sul.

A rede Petrobrás também tem um cartão de fidelidade, mas sobre esse eu não tenho informações.

  • CARTA VERDE

Existe um acordo feito entre os países da América do Sul que diz que, para todos os veículos que cruzam as fronteiras, deve ser feito um seguro chamado “Carta Verde”. Caso você já tenha seguro de veículo, pode consultar com a seguradora se eles emitem a Carta Verde; se não tem, pode contratar só a Carta Verde, por um determinado período de dias. Neste site aqui, por exemplo, o valor para 15 dias é de R$ 146,00. Pesquise!

  • DOCUMENTAÇÃO

Por um acordo do Mercosul, não é necessário portar passaporte, mas os documentos de identidade deve ter sido emitidos há menos de 10 anos.

No Uruguai, a Carteira de Habilitação NÃO É ACEITA como documento de identidade, então esteja certo de portar o RG, e a CNH só se for dirigir.

Na Argentina, desde 11/2009, a CNH é aceita como documento de identidade para quem atravessa a fronteira por Foz do Iguaçu, mas somente por 72 horas (acordo feito para desburocratizar o turismo no “Corredor Turístico Iguaçu”).

Para o Uruguai e Argentina, não são exigidas vacinas no momento. Se for para algum outro país, consulte.

No caso dos carros, o documento deve ser original e o proprietário deve ser o motorista, ou estar entre os passageiros.

Se quiser levar o bichinho de estimação, pode, mas precisa de uma autorização – o Certificado Zoossanitário Internacional. Quem emite é o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

  • LEIS DE TRÂNSITO

Já escolheu para que país (es) vai? As leis de trânsito variam de país para país, então é bom se informar sobre os requisitos.

No Uruguai e na Argentina, por exemplo, você deve andar com os faróis acesos nas estradas, mesmo de dia; na Argentina, você deve ter extintor de incêndio, 2 triângulos no carro, um kit de primeiros socorros e um cambão ou cabo de aço, além do lance dos faróis acesos.  Li em um site que também é proibido ter engate no carro, mas não consegui confirmar. Nos sites dos consulados, constam as regulamentações e requisitos. É bom dar uma olhada!

Ouvimos muitas histórias e lemos alguns comentários negativos sobre a Polícia Rodoviária do Uruguai, mas não tivemos nenhuma experiência (positiva ou negativa), então não posso comentar nada. Mas todo cuidado é pouco, né?!

  • CONFORTO!!!

Lembre-se que são muitas horas de estrada e que, nos momentos em que você não está dirigindo, não tem muita coisa para fazer. Livros, tablets, revistas, tudo é válido para distrair. Faça uma mega playlist para o som do carro e peça para os seus acompanhantes fazerem também! Dirigir ouvindo música é muito mais agradável, ainda mais quando todo mundo no carro está dormindo e você está com sono. Só não se esqueça que o espaço do carro é limitado e que muitos objetos diminuem ainda mais o conforto.

Terminados os preparativos, sorriso no rosto e pé na estrada! No próximo post, começo a contar a nossa aventura! 😉

Foz do Iguaçu, parte um: planejando a viagem!

17 nov

 Olá viajantes!!!

Passei a última meia hora pensando em como começar a contar para vocês a nossa viagem, no feriadão entre 12 e 15 de novembro de 2010… não achei uma forma boa! Então, vamos pela ordem cronológica, ok? rs

Felizes por viajar novamente!

Faz muitos meses que estamos sonhando em conhecer Foz do Iguaçu e as tão famosas Cataratas do Iguaçu (para quem nos lê e conhece o nosso gosto por cachoeiras, não é difícil entender nossos motivos! rs). Nosso planejamento foi, como sempre, de última hora – dia 20 de outubro estávamos desesperados procurando uma pousada, albergue ou qualquer lugarzinho simpático para repousar nossos corpinhos cansados. Mandamos e-mails para vários hotéis e pousadas, até que achamos um quarto triplo em uma pousada mega fofa, por R$ 105 a diária. Perfeito!!!

Para baratear a coisa toda, fomos de ônibus. É, eu sei – “Mega cansativo!”,

Primeira parada!

“Vocês são malucos!”, “Nem a pau!”. Ouvimos várias críticas, reclamações, tiração de sarro… mas nenhum argumento batia o nosso: passagens compradas na Pluma, parceladas em 3x, ida e volta por R$ 273,00. Saímos de São Paulo na sexta feira, dia 12/11, às 20h00, chegamos em Foz do Iguaçu dia 13/11, às 11h50. São quase 16 horas de viagem, com apenas 2 paradas: uma no Posto Rodoserv e outra (a do café da manhã), em um posto horroroso no meio do nada, na cidade de Ubiratã/PR, de atendimento e qualidade questionáveis.

Maaaas… se você não gostou da idéia de ir de ônibus, prefere ir com o seu carrinho e quiser seguir pelo caminho do ônibus, vá se preparando: são 1.035 km, passando por 17 pedágios que custam R$ 117,05 ao todo, seguindo pela Rodovia Castelo Branco e depois pela BR 369; ooou 1.048 km, passando por 15 pedágios que custam R$ 76,20, seguindo pela Rodovia Régis Bittencourt e depois pela BR 277 (informações do Guia Rodoviário 4 Rodas).

O site oficial de Foz contém muitas informações sobre hospedagem, atrativos turísticos, entretenimento e serviços. Recomendamos os hotéis no centro, caso você vá de ônibus, pois fica mais fácil de se locomover – as atrações turísticas ficam dispersas. Se for de avião e tiver uma graninha sobrando, talvez seja vantagem alugar um carro. Avalie.

Nos locomovemos de ônibus todos os dias e a facilidade é imensa (a única coisa que incomoda é a espera, se você for tão ansioso quanto nós!), sem contar no preço muito mais em conta do que andar de táxi. A passagem para a maioria dos atrativos custa R$ 2,20 (dentro do Terminal Urbano ), e R$ 2,50 outros lugares. Se você for de fim de semana, lembre-se que os ônibus circulam com intervalo maior e que o comércio fecha aos domingos e feriados (os parques funcionam normalmente). O pessoal das pousadas e hotéis é bem preparado para dar todas as informações que você precisar!

Segue abaixo um mapa de Foz, com os principais atrativos e as distâncias a serem percorridas, à partir do centro. Volto logo mais, contando um tanto da nossa aventura nesses 3 dias tão corridos! rs

Abraços e até, viajantes!!!

Mapa de Foz do Iguaçu

Acquamania Water Park 12  Km
Aeroporto 15  Km
Cataratas Argentinas 29  Km
Cataratas Brasileiras 28  Km
CEAEC (Conscienciologia) 08  Km
Centro de Convenções 14  Km
Ciudad del Este (Paraguai) 6,5 Km
Ecomuseu 11,5 Km
Furnas 16  Km
Helisul Táxi Aéreo 16  Km
Iguassu Golf Club 12  Km
Itaipu 12  Km
Macuco 23  Km
Marco das Três Fronteiras 06 Km
Mesquita Muçulmana 07 Km
Oba Oba Rafain Samba Foz 02 Km
Parque  Aquático Cataratas 17 km
Parque das Aves Foz Tropicana 17 Km
Parque Nacional do Iguaçu (Portão) 17 Km
Ponte da Amizade 06 Km
Ponte Tancredo Neves 07 Km
Puerto Iguazú (Argentina) 10 km
Refúgio Biológico Bela Vista 13 Km
Rodoviária Internacional de Foz do Iguaçu 4,4 Km
Teatro Barracão 7,2 Km
Teatro Plaza Foz 07 Km
Templo Budista 11 Km
Terminal de Três Lagoas 20 Km
Weekend Fly 19 Km
Zoológico Bosque Guarani 0 Km 

 

 

Praia do Guaraú – Peruíbe/SP

24 ago

Oláá viajantes!!

Cansados do marasmo da cidade, com saudades do mar e na iminência do aniversário da querida Fláávia, combinamos este fim de semana uma viagem rápida. Fomos para a Praia do Guaraú, em Peruíbe!

Praia do Guaraú - Peruíbe/SP

A Praia do Guaraú fica no litoral sul de São Paulo, situada entre a Serra do Mar e o Rio Guaraú, logo antes da Reserva Ecológica da Juréia – Itatins. Tem uma grande faixa de areia fina, águas claras e muitas ondas – vimos muitos surfistas por lá! 🙂

Como chegamos:

Mapa de estradas - Peruíbe

Saímos de São Bernardo do Campo na sexta feira à noite, por volta das 23:15. Como já estávamos na Via Anchieta, seguimos por ela mesmo (pedágio: R$ 18,50. Ai!). Mas sugerimos muuuito que você vá pela Rodovia dos Imigrantes. O valor que você vai pagar vai ser o mesmo, mas devido aos novos radares na Anchieta, a velocidade máxima permitida na serra é de 50 km/h, o que torna a viagem bem mais demorada!

Em Cubatão, pegue a Rodovia SP 055 (Padre Manoel da Nóbrega/Pedro Taques), e siga até Peruíbe. Segundo o Guia 4 Rodas, são 140 km de São Paulo até Peruíbe. No trevo de Peruíbe, siga à esquerda, por uma avenida looonga (Av. João Abreu), até a rotatória. Depois, fomos pela Av. Padre Anchieta até a Estrada do Guaraú. Contei 150km até o lugar onde nos hospedamos. Chegamos por volta de 1:20am.

Camping do Kojak

Nos hospedamos no Camping do Kojak, ou Guaraú Ecopousada, como vocês preferirem. O Kojak é um senhor muito “descolado”, pai de 22 filhos, cheio de energia e bom papo! A estrutura do camping conta com banheiros com chuveiro quente, área para camping gramada, varal, pontos de luz, churrasqueira e lago. Pudemos notar também que a vizinhança é bem calma e, se não tiver lugar pra estacionar no camping, dá pra parar na rua mesmo. Sem problemas. A diária do camping é R$ 15.

Nosso quartinho!

Desta vez, decicimos ficar em um dos quartos “standard”, pelo qual pagamos a bagatela de R$ 20 a diária (por pessoa). O quarto tinha banheiro, geladeira, ventilador de teto e tv. Para nós, foi TOP! rs

Como viajamos em 6 pessoas, nos dividimos e ficamos em 2 quartos, cada um com 3 pessoas. Mas tem quartos com beliche, para abrigar famílias ou vários amigos. Pergunte ao Kojak!

Fora a mega vantagem de ter uma geladeira à disposição para gelar as nossas bebidas, também tem a churrasqueira e uma cozinha comunitária. Detalhes no nosso guia de hospedagem, tá?

A praia é beeem bonita. Tem restaurante e padaria por perto. Não sei dizer para vocês como é em temporada, mas o Kojak jura que lota muito…

Vista do Costão

Para nossa imensa felicidade, a praia tem um costão rochoso do lado esquerdo. Andamos um bom tanto nele e achamos até uma piscina natural

Maaasss não dá pra ser tudo sempre perfeito. Fez um vento impressionante no fim de semana, o que tornou os nossos dias um pouco menos quentes… mas o sol estava lá para compensar tudo, afinal.

Yeah!!

Porque a gente se diverte em qualquer lugar. E você?

Abraços!!! E até!!!

p.s.: se você nããão gostou desse lugar, e prefere outro tipo de passeio, descolei um mapinha de Peruíbe no site da prefeitura. Confere aí:

Mapa da região.

Bueno Brandão/MG

1 ago

Olá viajantes!

Vista da estrada Inconfidentes/Bueno Brandão

Estamos fazendo uma série de posts sobre a nossa viagem à Bueno Brandão (porque são tantas, tantas coisas que não dá pra contar em um post só!). O melhor dessa viagem é que, apesar de termos idéia do que iríamos encontrar por lá, não fizemos exatamente um planejamento do que ver e quando. Tínhamos somente os nomes das cachoeiras mais bonitas, mas nenhum mapa para chegar nelas! rs

E foi parando na estrada para tirar a foto acima é que encontramos o Sr. José Pereira, que nos disse que logo ali, abaixo de nós, havia uma cachoeira… vamo aê?! Era a “Cachoeira dos Vicentes”!

Entrada da propriedade onde fica a Cachoeira dos Vicentes!!

Esta cachoeira fica na estrada de Bueno Brandão para Inconfidentes, mais ou menos no km 4 (à partir de Bueno). Do lado direito da estrada tem uma porteira e a placa da foto ao lado. Deixamos o carro aí mesmo por falta de lugar melhor pra estacionar (a entrada da propriedade é de terra e bem íngreme, achei que se o carro descesse, não ia subir de volta! rs). A taxa de visitação é de R$ 1,00 como está aí, na placa da foto! 🙂

Caminho para a cachoeira

Bom, primeiro de tudo eu quero avisar que a cachoeira fica longe, muuuito longe da porteira! Veja na foto: o círculo mostra pessoinhas como nós voltando da cachoeira, e a seta mostra o local da queda da cachoeira… a foto foi tirada lá de cima, do início da trilha. Portanto, tenha certeza de que você quer ir, pra não ficar reclamando de dor nas perninhas depois (é, nós reclamamos um tanto só um pouquinho! rs).

Cachoeira dos Vicentes

A queda é de 22 metros e, segundo o site da Prefeitura de Bueno Brandão, ela se chama “Cachoeira da Boa Vista dos Vicentes” (sempre acho que não dá para ter uma noção de como é meesmo só vendo a foto! rs). Esta foi uma surpresa muito grata, para o início do nosso segundo dia em Bueno Brandão!

Ah!!! Outra surpresa deliciosa na nossa manhã!!! Antes de sairmos do sítio onde estavamos hospedados, vimos um lindo tucano!

Tucano liiindo!!

Ah! Vocês podem até achar um comentári meio “bicho da cidade”, mas não costumamos ver esse bicho lindo, que parece pintado em madeira, na porta de nossas casas! rs Vê-lo certamente fez do nosso dia muito mais feliz!

Abraço, viajantes. Volto logo para contar mais do nosso segundo dia! 😉

Cachoeira do Sossego

25 jul

Olá viajantes!!!

Desculpem a ausência! rs Continuemos em Bueno Brandão…

Voltando das Cachoeiras dos Machados, encontramos outra placa “Cachoeira” e decidimos seguir. Nos deparamos com a Cachoeira do Sossego, também conhecida como “Cachoeira do Gustavinho”! Para quem sai de Bueno Brandão: siga pela estrada Bueno Brandão/Socorro por 3 km, vire à direita e continue por mais 400 metros.

A cachoeira fica em uma propriedade particular, com camping para os que

Parte da área para camping

quiserem desfrutar inteiramente do Sossego! A área de camping conta com churrasqueira, fogão, geladeira, pontos de luz e mesa de sinuca, e pelas informações, a diária é de R$ 20,00. Apesar de não parecer na foto (rs), a área de camping é bem grande e os itens acima citados já estão inclusos na diária. Também há opção de trilhas e pesca esportiva no local. Interessado? O telefone do Sr. Brás é (35) 9813-1042, ou Rita (35)9977-2693.

A taxa de visitação é de R$ 3,00 e o sr. Brás vai lhe explicar como chegar à cachoeira. É bem simples.

Cachoeira do Sossego, também conhecida como Cachoeira do Gustavinho!

A placa diz e é verdade. “Você vai deslumbrar-se com as lindas paisagens do local”!

Cachoeira do Sossego!!!

A trilha que chega até este ponto é bem fácil, com corrimãos e cordas para segurar. Depois de passar váááários minutos admirando essa beleza, você pode seguir a trilha até uma ilha e admirar o outro lado da cachoeira.

Viiiu? A ponte tem até corrimão! 😉

Achamos o lugar bem conservado e limpo, mas ainda que o dono tenha todos os cuidados com o lugar, sempre tem um espírito de porco para largar um papelzinho de bala ou uma latinha de cerveja. Levem sacolas de lixo!

E haja água! rs

Achamos que, infelizmente, as fotos não fazem jus à beleza do local. Confiram, e depois me contem o que acharam, certo?!

Beijo e abraço, até o próximo post!!

Cachoeira dos Machados I e II

15 jul

Olá viajantes!

Como eu estava contando no post passado, estivemos em Bueno Brandão neste feriado de 9 de julho, para conhecer as muuuuitas cachoeiras do lugar.

Na sexta-feira, além de conhecer a Cachoeira dos Félix, conhecemos também as Cachoeiras dos Machados. Saindo da Cachoeira dos Félix, ao invés de virar à direita e voltar para a estrada para Socorro, você pode virar à esquerda e descer a estradinha de terra. Ao final dela, vire novamente à esquerda, seguindo a placa “Cachoeira” (se quiser voltar, virando à direita você sai no “asfalto”, sentido Bueno Brandão)…

Cachoeira dos Machado II

O valor da taxa de visitação é R$ 2,50 (embora no site de Bueno Brandão esteja escrito que não tem taxa de visitação…). Você estaciona em um canto do terreno e desce uma ruazinha; tem uma lanchonete; anda-se alguns minutos em uma trilha bem demarcada, em uma propriedade particular. Aliás, muuito cuidado com o caminho! Algumas vacas costumam pastar por lá, e deixar seus rastros! rs

A cachoeira é beem alta também (queda de 70 metros), mas como faz algum

Poço para banho na Machados II!

tempo que não chove (ou não chovia!!!),  o fluxo de água está um tanto menor. Pelas pedras, dá para ter uma noção da maravilha que esta cachoeira deve ser em dezembro/janeiro! E na parte de baixo ainda tem um poço, caso você queira tomar um banho de água beeeem gelada!!!

Paramos para um “dedo de prosa” com a dona da casa, que tem plantas lindas

Placa indicativa

logo ao lado do banheiro, e seguimos para a Cachoeira dos Machados I. Voltando para o asfalto, viramos à direita, sentido Bueno Brandão (note que a estrada Bueno Brandão/Socorro é metade de terra e metade asfaltada). Logo à frente, você verá uma subida não muito íngreme… antes da curva, vire na primeira entrada à esquerda (caso você se perca, pergunte no bar, na beira da estrada, onde é a Cachoeira dos Machados I). Logo que virar, vai ver a placa. Siga em frente.

Parte divertida> cruze a ponte sobre o rio.

Só passa um por vez! rs

Depois da ponte, você dirige durante uns 5 minutos e já vai avistar umas casas. A cachoeira fica em uma dessas propriedades, a última. Tem um espaço cimentado para parar o carro,  e a taxa de visitação é de R$ 2,00.

Cachoeira dos Machados I

Aqui, o volume d’água é impressionante!!! Ficamos nos perguntando como será a cachoeira em época de cheia! Você pode andar até esta pedra, que fica bem em frente à cachoeira, mas tem que atravessar essa “pinguela” aí, ó (parte inferior direita da foto)!!!

Tem uma trilha que vai até a parte mais alta da cachoeira, acima da queda.

Vista da parte de cima da cachoeira

Lugar para passar a tarde, colocar os pés na água geladíssima e pensar na vida. Aliás, pensar nas coisas BOAS da vida! Tipo… ãh… viagens de graça para todos os lugares??? 😉

Abraço à todos, até a próxima!!! (Ainda faltam 4 cachoeiras pra falar!)