Archive | Paraty – RJ RSS feed for this section

PRAIA NEGRA, PONTA NEGRA – PARATY/RJ

26 mar

 
 

Viagem limpa!

 

Oi gente!

Faltou uma pontinha de conversa na nossa saga pela APA CAIRUÇU: a belíssima Praia Negra, em Ponta Negra!

 

 

A TRILHA

 
 

Trilha do canto esquerdo da Praia de Galhetas até Praia de Ponta Negra

 

O pior de todos os piores que nós já vivemos em trilhas, sem sombra de dúvidas, é até Galhetas. Ao lado da pousada amarela começa a trilha para a Praia de Ponta Negra, tanto a subida como a descida são bem acentuadas mas parecem um lindo caminho florido se comparadas ao trecho Sono-Antigos, rs!

Depois do sobe e desce, chega-se à margem de um rio liiindo de viver, cheio de pedras imeeensas (no nosso achismo geológico podemos apostar que esse foi outro ponto onde a Serra da Bocaina quase veio abaixo). Não há outro jeito de chegar à praia, a não ser encontrando o melhor ponto: ou sobre as pedras lisas ou pela água gelaaaaaaada (na altura dos joelhos).

Gente, não pense que estávamos sofrendo para nos equilibrar e por isso a foto abaixo ficou desfocada! Nããããão! Isso é apenas uma estratégia para evitar processos por direitos de imagem, ahahahahaha!

 
 

Cultura caiçara: é de pequenino que se torce o pepino!

 

A garotinha, linda que parecia uma boneca, devia ter no máximo uns cinco anos, cantava e limmpava lulas com uma faca maior que ela.

A PRAIA

E o nosso voto de melhor e mais linda vai para …PRAIA DE PONTA NEGRA, a única que mesmo num dia cinza, se fez verde e azul!!!

 
 

Praia de Ponta Negra, vista da trilha ao lado da torre

 

Gente é o tudo! Pequena, mansinha, sem buraco, perfeita pra nadar, mergulhar, fazer nada, fazer tudo! É tudo de bom!!!

 
 

Verde e azul, mesmo num dia cinza!

 

Nossa intenção era chegar ao Saco Bravo, atrás da Ponta Negra, onde uma cachoeira forma um poço na encosta em frente ao mar, mas as forças divinas e incognocíveis determinaram:  daqui não passarás! Então o jeito foi voltar pelo mesmo caminho, elevando o nível de dificuldade da trilha (que devido à chuva passou de 145 para 428) e aumentando o índice de tombos por pessoa (que passou de 4 para 6,5)!

O QUE MAIS TEM PRA SABER SOBRE PONTA NEGRA?

 * Existe uma população caiçara fixada no local, portanto há alguma estrutura turística, mas não esperem nenhuma estrela, é tudo rústico e nem luz tem, apenas alguns pouco geradores, felizmente no boteco tem um e a lata de skol estupidamente gelada sai a 3 dinheiros!

* O camping da Zita, que fica atrás do boteco cobra diárias a 10 dinheiros com banho gelado! Ah, e outra coisa: leve pilhas extras e lanternas carregadas porque não há como carregá-las;

* Os preços do não são abusivos: PF a 15 dinheiros, porção de camarão a 30 dinheiros, razoável!

* No boteco há vários poster com informações sobre a comunidade, desde o tempo da colonização quando os Tupinambás faziam churrasquinho dos portugueses que aportavam por ali, ahaha..bem feito!!!

* Travessia de barco: até Antigos = 15 dinheiros, até o Sono = 25 dinheiros, até Laranjeiras = 30 dinheiros (por pessoa, sem choro nem vela)!

* Aluguel de chalés – Lindalva e Eni (24) 9818-1541 e (24) 9244-3941 ou www.praianegra.com.br

Gente, nosso relato está contaminado com algumas raivinhas que passamos nessa viagem, as fotos são poucas e a luz não ajudava, mas falando mesmo muito sério: é tudo de bom!!! Vão lá conferir!

Bjo gente!!! 

PRAIA DE GALHETAS E CACHOEIRA DE GALHETAS – PARATY/RJ

8 mar

Viagem Limpa

 

Então gente, na verdade a trilha que parte da Praia do Sono atravessa toda a Ponta da Joatinga, e a próxima praia depois de Antiguinhos é Galletas.

A TRILHA

Tendo sempre em mente que o pior é o começo, o resto é apenas… difícil, rs! Mas é bom lembrar que nossas impressões foram encharcadas pela chuvinha renitente da virada 2010/2011. Talvez com tempo seco essa trilha não seja tãããããão terrível assim e caia uns 100 níveis na nossa classificação! Um dia havemos de refazer este percurso sob um sol escaldante, kkkkkkkkkkkk!!!!
Mui biem: voltando pelo acesso à Antiguinhos, margeando o riozinho, chega-se novamente à bifurcação da trilha, à esquerda é o caminho de volta à Antiguinhos e Praia do Sono, e seguindo à direita, sempre em frente (subindo e descendo, descendo e subindo, etc, etc, etc…) logo se encontra nova bifurcação que leva à Cachoeira de Galetas (esquerda) ou à Praia de Galhetas (direita).

CACHOEIRA DE GALHETAS

Temos que nos repetir, o acesso é complicado mesmo! Barranco inclinadésimo, raízes soltas, pedras soltas, se preparem para o rolê, é ruts!
Chegando à margem do rio, a pergunta que não quer calar: SIM MAS, CADÊ A CACHOEIRA????

Então? Cadê a cachoeira???

Chegamos a lamentar tanto esforço por nada, então trata-se de um poço com uma pequena queda e não de uma cachoeira? Ah tá!

Mas isso não é cachoeira ué?!?!?!

Mas olhando além das aparências… lá está ela, escondida atrás da rocha e excelente para uma hidromassagem!!!

Ahááááá!!! Querendo nos enganar escondidinha atrás da pedrona né???

A partir da cachoeira, existem dois caminhos para a Praia de Galhetas:

1 – atravessando o rio e pegando uma trilha suave na margem oposta à que se chegou à cachoeira;

Pouca água, pouca correnteza e muuuuita pedra!!!

2 – voltando pelo mesmo ponto de acesso até a bifucação,  seguindo à esquerda (o caminho à direita leva de volta à Antiguinhos) e atravessando a ponte sobre o rio.

Que lindo né?!

PRAIA DE GALHETAS

Também conhecida como Saco das Galhetas, linda e surpreendente, mas não se parece nada com as nossas típicas praias tropicais, cheias de verde. Na verdade, ao atravessar a ponte sobre o rio e ter vista para o mar, pensa-se ter chego à alguma praia grega.

Gente!!! Não parece uma praia grega???

Gente, não tem areia, só pedras e mais pedras! Pedrinhas, pedronas, pedras médias, de todas as colorações e consequentemente diversas composições minerais, coisa de louco!!!

Gente, que diferente!!!!!!!!!!!!

E o mais interessante de tudo na vida: a maioria das pedras são de tamanho médio a grande e  muito arredondadas, tal como pedrinhas de rio, o que leva a pensar que há milhões de anos o fluxo de água neste rio devia ser tão intenso que Serra da Bocaina quase veio abaixo!!!

Quanta água pra rolar essas pedras! Quase que a Serra da Bocaina veio abaixo!!!!



Ah, gente!!! Se vcs se esforçarem bastante (oops! Falhamos no enquadramento,rs!), verão uma construção à esquerda, ao lado da trilha para Ponta Negra.

Trilha para Ponta Negra e à esquerda, pousada

 No reveillon 2011 esta pousada alugava chalés para casais por 1.000 dinheiros o pacote (5 dias e pensão completa), mas a má notícia é que não temos o telefone de contato (foi mal!!!)! Pelo menos sabemos informar que o transporte do Condomínio Laranjeiras até Galhetas custa 30 dinheiros cada pessoa, já é alguma coisa né gente!?
Do alto da trilha, um  último olhar para Galhetas:

Da trilha para Ponta Negra, vista da Praia de Galhetas

Vão logo pra lá! É tudo de bom!!! Veja aqui as FOTOS, FOTOS, FOTOS!!!

Bjo gente!!!

PRAIAS DE ANTIGOS E ANTIGUINHOS – PARATY/RJ

6 mar

Viagem Limpa!

Oi gente!!!

Continuando nosso tour APA do Cairuçu no extremo sul de Paraty, saímos da Praia do Sono em condições nada (mas nada mesmo!) favoráveis, tentando chegar ilesos o mais longe possível.

Meus Deeeeeus!

A TRILHA

Aos pés da trilha bom senso GRITA pela  sobrevivência, tendo nos fazer recuar…

NOSSA CLASSIFICAÇÃO PARA ESTA TRILHA: “NÍVEL 145 – COM ACENTUADO RISCO DE SER A ÚLTIMA” – ÍNDICES DE TOMBOS/ PESSOA = 4 tombos com torsão do tornozelo!

Não há placas indicativas, degraus, corrimão, pouquíssimas raízes ou troncos que livrem a cara e o resto do corpinho de possíveis traumas. A via praticável (mas nem por isso  mais segura) são as valas que a enxurrada escava no morro. 

Se parece difícil subir, imaginem descer na chuva!

ALTERNATIVA 1: de barco, saindo do Sono Até Antigos por 15 dinheiros (ida ou volta) o problema é quanto o cara vai cobrar pra esperar, rs! ;-P

ALTERNATIVA 2: Pra quem tem pouca grana e muita fé – peça proteção à Nossa Sra. das Trilhas (& Rumos), ahahahahaha!!!

Nossa Sra das Trilhas (& Rumos)!!!

Gente, se vc sobreviverem à subida (nós fazemos votos!), a partir daí a trilha é nível médio, na primeira bifurcação à direita se chega à Praia de Antigos. Vale a pena!

Claro que se São Pedro não tivesse resolvido destruir nosso feriado, nós teríamos visto isso:

Visual azul...fica pra próxima!

PRAIA DE ANTIGOS – Classificada como uma das 10 praias mais bonitas do Brasil (Guia 4 Rodas – 2009),cortada por dois córregos que modificam a paisagem, um deles forma um espelho d’água bem no meio da praia. No canto direito, junto à ponta do Sono, surfistas suicidas pegam ondas nervosas e  tentam não se espatifar junto ao amontoado de pedras gigantescas. Gente, dá desespero só de olhar!!!

O canto esquerdo tem águas mais mansas e uma costeira onde é possível mergulhar. Antes da costeira, também sem nenhuma sinalização, começa a trilha para Antiguinhos, com subidas e descidas mais leves, o acesso se dá na bifurcação à direita, margeando o riozinho.

Difícil, mas não impossível! O pior é só no começo...e no final, ahahaha!

 PRAIA DE ANTIGUINHOS

Antiguinhos

Também conhecida com Praia dos Furados, por estar aos pés da Ponta do Furado, é minúscula e está ligada à Praia de Antigos por uma enseada de pedras imensas. Também propícia ao mergulho e bom lugar para pesca.

Tão pequenininha!

Os nomes Antigos e Antiguinhos vêm de inscrições encontradas nas rochas próximas que lebram antigos visitantes, não se trata de inscrições rupestres nem da marca registrada do Carlos Adão (pois tudo indica que ele também é primitivo), mas de piratas do tempo do Brasil colônia. Atualmente as praias são desertas mas é bom lembrar que já houve uma população caiçara fixada no local, expulsa por um tal de Gibrail Tannus Notari, latifundiário que se nomeou proprietário daquelas terras. Seus herdeiros até hoje brigam na justiça pela posse de toda a Ponta da Joatinga, inclusive a Praia do Sono! Pode uma coisa dessas???? Saiba mais AQUI.

Corram pra lá gente, antes que  algum megaempreendimento torne essas praias particulares, tal como fez o Condomínio Laranjeiras. Reza a lenda que há por aí um país certo tropical, onde quem tem grana geralmente consegue tudo que quer!

Vejam aqui: FOTOS, FOTOS, FOTOS!!!

Bjo gente!!!!

PRAIA DO SONO, PARATY/RJ

18 fev

Viagem Limpa!!!

 

 

Oi gente!!!

 

 

Que situação!!! A razão entre expectativa e  frustração é diretamente proporcional:

 EXPECTATIVA NÍVEL 10 = FRUSTRAÇÃO NÍVEL 10

Mas também não é para menos, tantos planos e sonhos para um lugar azul e, quando finalmente chega a nossa vez…tuuuuudo absolutamente cinza!!! Pior que o mau humor de São Pedro, só o nosso!!!

Para todos, a regra: Praia do Sono em condições normais

 

Para nós, a exceção: Praia do Sono em ocasião extraORDINÁRIA!!!

É disso que nós estamos falando!!!

Depois desse desabafo (azar, nuvens e chuva à parte), vamos dizer o que é: tudo de  lindo!

O nome  é por causa da luz, ou melhor, por causa da ausência dela, por ficar entre as pontas da Joatinga e do Sono e por isso o sol aparece 1h30 mais tarde e se põe mais cedo atrás da montanha, logo os dias são mais curtos e as noites mais longas, não que isso seja motivo pra sono né gente, afinal há muuuuita coisa mais dinâmica pra fazer do que dormir!!! Aliás, o bar do reggae ferve a noite inteira, além das muitas fogueiras na areia da praia, aonde a galera vai passando de uma à outra, conhecendo gente, trocando ideia, dando risada e curtindo o bom da vida!

Integração

A PRAIA

Uma palavra: Linda.

São 1365m de praia com orla exuberantemente arborizada, Chapéus-de-sol lindíssimos e imeeensos se emparelham como uma muralha! A  praia tem pouca inclinação, mas apresenta bancos de areia em  alguns pontos onde as correntes se encontram, nada que impeça um banho naquele mar de águas transparentes, apenas requer um pouco de cuidado.

Rio do Sono

No canto esquerdo deságua o Rio do Sono – ao lado de um costão rochoso que nós não vimos jeito de escalar, mas de caiaque é possível contorná-lo e chegar à excelentes pontos de mergulho nas piscinas naturais formadas por lajes de pedra que represam a água do mar.

Canto Bravo – No canto direito a galera do surf curte ondas mais fortes, e pela areia, conseguindo transpor as pedras (as primeiras são imeeensas, mas tem uma cordinha pendurada pra ajudar),  é  difícil mas não impossível chegar até a cachoeira das pedras, uma pequena queda formada por um  córrego  que desagua no mar.

Oferece mar, rio, cachoeira e montanha, um verdadeiro paraíso para  quem curte o  ecoturismo!

Amanhecer 31.12.10

 

Ao fundo, Canto Bravo

O AMBIENTE

Três palavras: rústico, aconchegante, louco.

Casais, galeras, famílias e  gente que viaja sozinho mas que nem por isso permanece isolado. As pessoas se comunicam: todo mundo deseja feliz ano novo pra todo mundo, a conversa rola entre as mesas nos botecos, na fila do banho, na fogueira; na trilha as pessoas se oferecem pra dividir o peso da bagagem, enfim, o povo socializa. Tivemos a oportunidade de conhecer o público fiel do lugar: amigos que pela terceira vez viajaram mais de 20 horas pra chegar, irmãos que moram separados mas sempre voltam juntos ao Sono  e uma galera de diferentes pontos de SP, que nunca se encontraram aqui mas que passaram o réveillon juntos pela segunda vez lá!

Além de suas belezas naturais, outro atributo que arrasta multidões até a Praia do Sono é sua face “The Jamaica’s is here”, bem aceita tanto por quem frequenta como por quem mora lá, cada um na sua e todo mundo em paz!

COMO CHEGAR

Gente,  viagem é feita em duas etapas, sendo preciso que fique bem  entendida a equação:

lugar preservado =  (distância)3 . (difícil acesso)

1ª ETAPA : ATÉ A VILA ORATÓRIO (Condomínio Laranjeiras)

CAMINHOS A SEGUIR DE BUSÃO: Do Terminal Rodoviário do Tietê, pela viação  Reunidas, até a Rodoviária de Paraty e de lá pela Viação Colitur (Linha 1040 – Paraty/Laranjeiras) até  a Vila Oratório (veja horários do busão aqui).

QUANTOS DINHEIROS CUSTA A VIAGEM DE BUSÃO? R$ 44,82 até Paraty e mais R$ 3,00 até a Vila Oratório

QUANTO TEMPO DEMORA A VIAGEM DE BUSÃO?  São 6 horas até  Paraty (veja aqui os horários da linha São Paulo/Paraty) e 1h40min até a Vila Oratório (veja aqui os horários da linha 1040 Paraty/Laranjeiras).

CAMINHOS A SEGUIR DE CARRO:

***pela Dutra: até São José, acesso à Rod. dos Tamoyos até Caraguá, seguindo pela Rio-Santos até km 158 , Bairro do Patrimônio. Subindo  o morro Deus me Livre e virando à esquerda na bifurcação que fica no alto do morro.

***Pela Dutra até Taubaté, acessando à Rodov. Osvaldo Cruz até Ubatuba, seguindo pela Rio-Santos até km 158 e assim por diante.

***Pela Ayrton Senna, acessando a Tamoyos até Caraguá, seguindo pela Rio-Santos até o km 158 e assim por diante.

QUANTOS DINHEIROS PAGOS EM PEDÁGIOS? Pela Dutra são 8,70 dinheiros e pela Ayrton Senna apenas 4,70 dinheiros.

2ª ETAPA: DA VILA ORATÓRIO ATÉ A PRAIA DO SONO

PELA TRILHA – Partindo do ponto final do busão, a placa não informa a distância, nós calculamos uns 3,5 km, mas o tempo depende do condicionamento físico  e do peso da bagagem. Chutando baixo: 1h30min de sobe, desce e escorrega (mesmo que não tenha chovido)!  Não há sinalização nem manutenção, degraus, corrimão, corda ou qualquer coisa que ajude o corpinho!

Soooooobe!!!!

 

Desce!!!

Nossa classificação para esta trilha: nível “não chega nunca” com índice de 2 tombos por pessoa, faça chuva ou faça sol.

Quem vai de carro pode deixá-lo estacionado nas ruas da vila ou estacionamentos fechados (leia-se quintais dos moradores), nos dois casos a diária sai por 10 dinheiros.  A trilha começa no fundo da Vila (seguindo reto depois da praça central).

DE BARCO – Do ponto de ônibus na praça da Vila,  parte a condução que leva até a marina no Condomínio Laranjeiras . De lá até o centro da Praia do Sono custa 25 dinheiros/pessoa  (incluindo toda a bagagem e sem margem para nenhum centavo de desconto).

ONDE FICAR

Ruts, não esquecendo que o ambiente é selvagem, pra quem não gosta de acampar ou que tem luxinho com tudo, o máximo conforto possível é alugar uma kitinete ou a própria casa de um morador (diária = 50 dinheiros/pessoa).

Como camping é lugar comum, tem para todos os bolsos, com diárias que variam de 10 a 25 dinheiros por pessoa. Dois fatores são tremendamente impactantes nesses preços: o banho quente e o poder da barganha, rs.

Nós ficamos no Camping Mãe D’Água, mais conhecido como o Camping do Lineu, reconhecidamente o mais caaaaro (25 dinheiros/pessoa com banho quente), mas merecidamente coroado como o melhor:  desde a  infraestrutura, passando pela coleta seletiva, até o atendimento que é realmente o grande diferencial  (veja Nosso Guia de Hospedagem).  

Essa diária é baratinha!!!! Rs, brincadeira gente! É apenas um rancho (lugar onde se guardam os barcos)

ONDE COMER

O P.F. é tabelado: 15 dinheiros com peixe, 18 dinheiros com frango ou bife.  Como o que rege nossa modesta opinião gastronômica é o feijão, para nós o rango do Restaurante Aloha é o melhor: 1 posta grande de peixe  ou 2 postas médias por P.F., saladinha básica, arroz no ponto (e com sabor) e o feijão tem gosto de feijão-da-mãe. Gente, é de comer até ficar triste!!!

De manhã, crianças passam entre as barracas  vendendo  pão caseiro e pedaços de bolo (3 dinheiros/cada), é praticamente um café na cama, ahahahaha!!!!

Muuuuito estranho! Pior que o gelo foi comprado no rancho ao lado!

O QUE É PRECISO SABER PRA SE DAR BEM NA PRAIA DO SONO:

***O acesso à Vila Oratório e às comunidades da Praia do Sono e Ponta Negra é controlado pela portaria do Condomínio Laranjeiras, que não informa exatamente qual a quantidade permitida e o ponto de corte é quando acabam as pulseiras ecológicas, sobre as quais não podemos falar nada porque não ganhamos (Talvez haja um critério de distribuição similar ao do Papai Noel = boas crianças merecem presentes, logo bons turistas merecem pulseiras, sabe-se lá!!!).

*** Tanto faz ida ou volta, melhor fazer a trilha à luz do dia, quando há bastante movimento e se pode ter uma mãozinha em caso de escorregões, quedas ou mesmo para dar uma força com a bagagem;

*** A energia elétrica é um acontecimento recente e representa custo para a comunidade, portanto tudo o que está relacionado ou depende dela é cobrado à parte: banho quente por 10 dinheiros, carregamento de baterias, pilhas ou celulares por 3 dinheiros, e por aí vai…

*** Sobre dinheiro: não se iludam gente, é preciso levar um saco bem grande e cheinho dele, os preços praticados na Praia do Sono são bastante altos: P.F. = 15 dinheiros (pagamos 7 dinheiros em Foz do Iguaçu e 10 em Trindade); cerveja Itaipava em lata =  4 dinheiros;  café = 2 dinheiros; repelente Off 100ml = 20 dinheiros; garrafa de água 1litro = 5 dinheiros. Não há dinheiro que seja suficiente!!! Para minimizar os custos, é quase levar tudo (bebida, comida, fogareiro, etc.)

***E por falar em bagagem, para quem estiver pagando de caramujo ou tartaruga e carregando a casa nas costas, indiscutivelmente a melhor opção é ir de barco,  mesmo sendo caro. A trilha não é difícil, mas as subidas são íngremes e os declives escorregadios. O  sucessivo sobe e desce quer requer muito … equilíbrio, rs! Acreditem, carregar a si mesmo já é muito!

***O Rio do Sono forma uma piscina natural conhecida como Poço do Jacaré, nós não fomos, mas segundo uma galera que procurou e não achou o lugar (?!?), vale a pena juntar um grupo e pagar 3 dinheiros/pessoa para qualquer moleque caiçara servir como guia [ecoturismo: gerando renda!;-)]

***Comunicação: sinal para celulares=depende do tempo, da operadora, da marca do aparelho, da sorte, etc, etc, etc. Há um único telefone público (OI)  e seu funcionamento  depende dos mesmos motivos, nós ficamosincomunicáveis por 4 dias!

***Alguns contatos úteis:

  • Camping Mãe D’Água ou Camping do Lineu – (24) 9293-3050 /  9816-7786
  • Camping do Ageu – (24) 9818-1684
  •  Teteco – (24) 33712673 ou (24) 99568822
  • Telefone Comunitário – (24) 3373-1904 (mas nós duvidamos que vcs consigam falar com alguém nesse número)
  • Misael (Passeios de barco e translados) – (24)9222-9880

*** A PRAIA DO SONO na NET

http://www.praiadosono.com.br/index.php

http://www.paraty.tur.br/praias/praiadosono.php

http://www.feriasbrasil.com.br/rj/paraty/praiadosono.cfm

***Nós não conseguimos nos lembrar quando foi a última virada de ano em que não choveu, o lugar é tuuuuuuuudo de lindo, mas o mau tempo prejudica bastante! Gente, não deixem de ir!!!

*** Vejam as FOTOS, FOTOS, FOTOS!!!

Bjo gente!!!

TRILHA ORATÓRIO – PRAIA DA FAZENDA

11 fev

DO RÚSTICO AO SUPER LUXO NO CONDOMÍNIO LARANJEIRAS, PARATY/RJ

 
 
Para pelo menos tentar descrever nossa impressão da Praia da Fazenda, é preciso contar um pouco da nossa realidade: 
 1.       Diárias de hospedagem acima de 25 dinheiros já nos causam séria preocupação quanto à duração da viagem;

2.      Nas refeições, o P.F. pode nos causar leve indigestão se custar mais que 10 dinheiros;

3.      Estamos acostumados com trânsito (muuuuito trânsito!!!) e viajamos com a lotação máxima dos carros para dividir o combustível (invariavelmente pago no cartão);

4.      Algumas de nossas convicções: banho quente é obrigatório, ponto de energia elétrica à disposição é luxo e dormir com areia no colchão inflável é coisa da vida;

5.      Nenhum de nossos amigos tem casa na praia pra emprestar, apenas barracas de camping;

6.      O custo médio das nossas viagens gira em torno de 250 dinheiros por pessoa e isso já causa um verdadeiro rombo no nosso orçamento;

7.       O fato de viajarmos somente no modo econômico nos limita, mas não nos impede de conhecermos lugares realmente maravilhosos e nos divertirmos muuuuito!

Isto posto, podemos agora contar o que vimos, e o que sentimos!

A TRILHA

   

 
 

Informações básicas

 

Tanto faz subida ou descida, a inclinação do morro é cruel!!!!

Partindo da praça, siga a  rua principal, vire à primeira à direita e deixe o asfalto (acesso  somente à pé contornando o muro da primeira casa – estacionamento do baixinho). O percurso total tem menos de 1 km, no trecho inicial apresenta degraus rústicos de madeira, há corrimão em alguns pontos de estreitamento e no final uma escadaria em eucalipto tratado que é um show de bioarquitetura, moleza né? Em dias secos pode até ser, mas com as chuvas do final do ano (dezembro/10) a dificuldade foi quadruplicada. Absurdamente íngreme e com solo argiloso, nem as raízes ou troncos das árvores livraram nossa cara nos 500 m de subida! E na descida a coisa não melhorou, ficou igualmente impossível manter o equilíbrio naquele barro que mais parecia um sabão.

  

Construção sustentável

 
ADENDO: Mata Atlântica preservada com presença de cobras (graaandes) e pegadas de animais (também graaandes) na trilha!

NOSSA MODESTA OPNIÃO: Nada de médio ou moderado, nossa classificação para essa trilha é nível “desafiador” com índice de 4 tombos por pessoa!

  
    PRAIA DA FAZENDA

 

A trilha termina na foz de um pequeno córrego, no canto esquerdo da praia, ao lado de um costão rochoso ideal para mergulho. Areia fina, águas transparentes e mar calmo, bonita. Mas sinceramente ela foi o que menos nos chamou atenção. talvez porque nos primeiros dias do ano os tons variavam do cinza ao preto, talvez porque as construções fossem mais oponentes, mas para que vcs não tenham uma impressão errada, roubamos umas fotinhas do Google:

 
 
 

Fotos tiradas em dias melhores e de ângulos melhores

 

  • A praia – possui apenas 490 m de extensão e  uma faixa de areia bastante estreita e inclinada, amendoeiras gigantescas sombream o gramado. Gente, vcs prestaram atenção ao que leram? “Amendoeiras” e “gramado” não parece completamente fora da nossa realidade tropical??? Por acaso amendoeira é arvore nativa? Será que não deveríamos estar falando de Chapéu de Praia e restinga?

Pousada, spa ou resort??? Ah, que nada!!! É só uma casinha de praia!!!

Gente!!!! Mosquiteiro no quiosque é desaforo né??!!

 

 As casas – quase  no final da trilha avistamos uma megaconstrução com paredes de vidro e espelhos d’água, que pensamos ser um spa, resort ou coisa parecida, mas era apenas e tão somente uma casa de praia! Um imóvel básico nesse condomínio vale vinte milhões de dinheiros (veja o anúncio aqui)
  
 
 
 

Transporte coletivo no Condomínio Laranjeiras

 

  • Os veículos – o intervalo entre pousos e decolagens no heliporto é infinitamente menor que o dos trens do metrô na Estação Sé na hora de pico!
  • 

 DADOS HISTÓRICOS:

A região de Laranjeiras já foi habitada pelos índios Tamoios, inimigos dos portugueses e aliados dos piratas e corsários franceses, ingleses e holandeses. Tempos depois abrigou a sede de uma grande fazenda produtora de aguardente que se estendia até as praias de Trindade. A Fazenda Laranjeiras era o local de moradia de 20 famílias nativas que viviam da pesca e principalmente da lavoura, isoladas devido ao difícil acesso, segundo informações de historiadores. Atualmente a Vila Oratório concentra 171 famílias e cerca de 580 pessoas. A população da Vila é jovem: 66% têm menos de 30 anos.

Maaaaaaaas, de um modo geral, sobre qualquer história existem dois possíveis diagnósticos: ou ela é uma mentira inventada por alguém que não estava lá,  ou é a versão do vencedor (o que vem a dar no mesmo, rs!). Em nome da “pretensa imparcialidade da informação” resolvemos dar crédito aos dois lados: 

A VERSÃO DOS VENCEDORES:

Uma incorporadora adquiriu o direito de posse dos moradores da Fazenda Laranjeiras e, além do valor da indenização, oferecendo a cada família uma casa com melhor infraestrutura e saneamento básico no vale que mais tarde se tornaria a Vila Oratório. Em mais de quarenta anos de existência, o condomínio têm contribuído ativamente para o desenvolvimento socioeconômico da comunidade local, através da geração de 300 empregos diretos e o empreendimento de diversas ações voltadas à saúde, lazer e cultura da população, beneficiando-a  inclusive, com o direito de uso de algumas dependências, como é o caso das marinas. A administração impõe aos condôminos, rígidas normas de preservação ambiental com o objetivo de minimizar os impactos e promover a sustentabilidade na relação entre o homem e a natureza. São distribuídas gratuitamente pulseiras ecológicas no intuito de controlar o acesso  e evitar o turismo predatório na região de Laranjeiras até Ponta Negra. 

A VERSÃO DOS VENCIDOS:

“Na década de 70, chegaram  oferecendo uma pequena quantia em dinheiro e uma casa para quem morava na praia”, Muitos não aceitaram, mas com tratores ameaçando passar por cima da casas, bombas e jagunços armados que estupravam as mulheres, os moradores não tiveram outra opção a não ser sair”, conta  Elvis Maia, presidente da Associação de Moradores de Vila Oratório.

O Condomínio deliberadamente: restringe o lazer da comunidade em suas quatro praias; impede a passagem de pescadores até o rancho onde são guardados os barcos; proíbe o embarque de determinados itens (por exemplo, materiais de construção) nas embarcações dos caiçaras da Praia do Sono e Ponta Negra (note-se que não há estrada e eles não tem outro meio de transporte de carga); assedia moralmente os funcionários em retaliação às manifestações da comunidade.

 DENÚNCIAS NA NET

 A extinção do pirão 

Elite oprime caiçaras 

Vizinhos ameaçadores

O RESUMO DA ÓPERA

A trilha requer atenção e deve ser feita principalmente em dias secos;

A praia é pública, mas se vcs não forem nenhum magnata ou pelo menos hóspede de algum, não terão o direito de se sentar à sombra das tais “amendoeiras” pois elas são o limite da propriedade do condomínio;

Ah! E não pisem com esses pés pobres naquele gramado onde todas as folhas são do mesmo tamanho e tonalidade, vcs podem perder até as calças numa ação judicial por invasão de propriedade particular, quase aconteceu conosco;

Em nossa rápida passagem pelas ruas do condômino (chamadas de picadas) quando voltamos da Praia do Sono, não conseguimos enxergar nada que justificasse  o blá blá blá da sustentabilidade: nenhuma lixeira para coleta seletiva, nenhum painel de captação de energia solar, nem a tal da pulseira ecológica nós ganhamos.

Os seguranças não foram grosseiros conosco, mas é nitidamente perceptível que a presença de um único pobre causa preocupação e mal estar aos condôminos.

Qual lado tem razão? Não sabemos, mas gente, falando sério, quando foi que a corda arrebentou do lado mais forte?

Bjo gente!!!!

Super lama autocolante nos pés e deslizante no chão!!!

TRINDADE-PARATY/RJ, CACHADAÇO

31 jan

PRAIA DO CACHADAÇO E PISCINA NATURAL DO CACHADAÇO

Desculpem dizer, mas quem não conheceu o Cachadaço, não conheceu Trindade! Partindo da Praia do Meio,  a trilha começa ao lado do rio, muito bem sinalizada,  conservada e estruturada nos pontos críticos, possui subidas suaves, mas de um modo geral requer esforço e cuidado. Talvez a informação mais importante  seja a parte de que cada um é responsável pela própria segurança, embora a placa não mencione a presença de cobras (Graaande!Mais de um metro, com certeza! Juramos  que era jararaca, mas não podemos provar porque  ela não quis posar para o flash!), mas sabe como é cobra em trilha né gente?! Assim como nós, ela só quer passar, lembrando que a preferencial é dela (ahahahaha!!!), cada um no seu quadrado! A primeira bifurcação à esquerda  leva à Praia das Figueiras (aquela em que se pode tomar banho de mar do jeito que viemos ao mundo!), mas recentemente o “mar em fúria” (ahahahaha! Ficou boa essa associação!!!!) arrasou com a praia, levando toda a areia embora e deixando apenas as pedras, segundo os moradores, a paisagem já está se recompondo, mas é melhor ligar antes de ir.  Voltanto à trilha para o Cachadaço, seguindo em frente por mais 400 m chega-se à Praia do Cachadaço.

PRAIA DO CACHADAÇO

Chegada da Trilha, canto esquerdo da Praia do Cachadaço

Galera curtindo a Praia do Cachadaço

Em relação à Praia do Meio, possui correntes mais fortes, mas águas não menos azuis. É menos frequentada e bem mais rústica, não tem bares ou quiosques e possui um único camping, o Camping da Casa Torta, bom pra quem quer sair da badalação.

Da trilha, janelinha para o azul!

No canto direito da praia, começa a trilha de 700 m para a Piscina Natural do Cachadaço, desta vez apresentando subidas mais acentuadas, porém compensadas com mirantes deslumbrantes!

Sustentabilidade inclui a prática de preço justo, não bebam água gente, bebam cerveja!

Quando começamos a questionar a veracidade das informações da placa, pois o corpinho jura que se esforçou muito mais que 700 m, eis que surge um abençoado boteco no topo do morro! Funcionando numa sustentável construção de taipa, fazendo a triagem do resíduo e incentivando a preservação ambiental, parece perfeitamente integrado ao ambiente, um verdadeiro oásis no deserto! Mas não se deixem enganar pela miragem gente! Entre a água (500ml por 3 dinheiros) e a cerveja (skol 350 ml por 3,50 dinheiros), prefiram a breja!!! Afinal a sustentabilidade tem um compromisso com a ética comercial, ahahahaha!!!! O acesso à Piscina Natural do Cachadaço se dá à esquerda na bifurcação da trilha, logo depois do boteco, uma descida bastante inclinada tendo  raízes expostas como degraus,  mas não encana gente! É perfeitamente possível e o visual, impagável!!! Em todo caso, barcos levam da Praia do Meio diretamente à Piscina Natural do Cachadaço (e vice-versa) por 7,50 dinheiros!   

PISCINA NATURAL DO CACHADAÇO

 

Da Piscina do Cachadaço, vista da Praia do Cachadaço e Praia do Meio

  

Mar azul, piscina verde!

Rochas imensas represam a água do mar e formam uma piscina natural onde o nível da água não vai além de 1,5 m,  mesmo com a maré cheia!

E de outro ponto, outra vista: mar azul, piscina azul!

A cada ponto, uma vista diferente: vários tons de verde e de azul, rochas de muitas formas, e através da água cristalina, vida em abundância: ouriços gigantes, peixes multicoloridos, crustáceos, moluscos e  tantos outros organismos que nem sabemos nomear aquilo tudo que vimos!  É tudo de biodiversidade, gente!!! Corram pra lá, vcs tem que ver aquilo!!!

Tudo!!!

Vejam aqui as FOTOS, FOTOS, FOTOS!!!! Bjos gente!!!

TRINDADE, PARATY/RJ – PRAIA DAS FIGUEIRAS

24 jan

Sol e calor são tudo na vida! Bendito seja esse nosso país tropical!!!

Vamos fazer um exercício de visualização:  o dia está ensolarado,e agradavelmente quente, estamos numa praia linda praia, pequenininha, mansinha, quase deserta, rodeada de muito verde, onde o  céu e  o mar disputam quem é mais azul. Nós nos sentimos relaxados, perfeitamente integrados e em comunhão com a natureza!!!

E aí? Se o que veio à cabeça foram cenas parecidas com as daquele filme campeão  da  “Sessão da Tarde”: A Lagoa Azul,  e  vcs conseguiram se ver no paraíso completamente peladinhos, então estamos falando do mesmo lugar: a Praia das Figueiras ou Praia dos Pelados!

Praia das Figueiras ou Praia dos Pelados

Gente!!! Que diferente!!! Todo mundo sem lenço nem documento, nem biquini, sunga ou coisa que o valha! Não sabemos se quem a frequenta é nudista ou naturista (desculpem, não pesquisamos o assunto e não sabemos qual a diferença. Nos parece que não há diferença, pelo menos visualmente, ahahahahaha!!!)), mas sabemos que a galera de lá é de boa, se assume como é  (se depender deles nada de moda praia! A Líquido e a Cia Marítima que vão à falência, ahahahaha!!!!) e não fica xeretando quem está ou não vestido, aliás parece mesmo que todo mundo está vestido. A postura das pessoas remete àquele dito popular: quem já viu tá acostumado e quem não viu não sabe o que é! Mais ou menos isso.

O acesso para a Praia das Figueiras  se dá na trilha que começa na Praia do Meio (  ao lado do rio), a mesma que leva ao Cachadaço e à Pedra da Cabeça do Índio.  São apenas cinco minutos de caminhada e à esquerda na primeira bifurcação da trilha.

E aí gente?! A fim de tomar um ventinho naqueles lugares em que normalmente não bate sol??? Libera geral na Praia das Figueiras!!!É tudo de bom!

Bjo gente!!!!!

Atualização 28/01/11:

Gente, infelizmente não vai dar pra ficar nu com a mão no bolso por enquanto!

Fomos investigar o comentário do Cláudio e realmente a Praia das Figueiras e do Cepilho tiveram suas areias removidas pela maré. Segundo o pessoal da Pousada Cabeça do ìndio (24) 3371-5140 e alguns pescadores, no final do ano passado o mar ficou muito bravo e levou a areia das praias, sendo estas duas as mais castigadas. Mas a boa notícia é que essa situação não é definitiva,  a paisagem já está mudando novamente e pequenas faixas de areia já são notadas. Quem não tinha ido, agora terá que esperar a natureza completar o ciclo. 

Bjo gente!!!