SWU – We’ve been there!!!

22 out

 

 

Viagem limpa!

Oi  gente!!!!

Claro que nós não podíamos faltar: viagem e música de qualidade. Melhor ainda se parte de uma iniciativa sustentável!!!

Como nossa simplória situação financeira não nos permitiria jamais curtir os três dias de shows, escolhemos o  domingo (10/10), principalmente pelo “Sublime with Rome” e “Dave Matthews Band”.

Cheio, muuuuuuuuuuuito cheio!!!

Tudo bem que o evento foi transmitido em vários canais, amplamente divulgado e todo mundo já tá pensando na edição 20111, mas já que todo mundo falou nós também queremos falar (mesmo tendo visto apenas  1/3 do filme deu pra deduzir o final),  rsrs!

 PRIMEIRISSIMAMENTE: NOSSA MODESTA OPNIÃO SOBRE O TUDO DE BOM DO FESTIVAL:

 Flávia – Olha gente:  Sublime foi bom, Joss Stone  foi uma agradável surpresa, mas cada centavo do que eu gastei nessa brincadeira (±R$ 200,00) foi reembolsado com juros pelo show do  Dave Matthews Band, o tudo do tudo, do tudo, do tudo….

 

DMB - Fantásticos!

Juliana –  Concordo, tudo muito bom. Mas a minha maior surpresa foi a Joss Stone. Gente, a mulher é apaixonante. Sério – linda, gentilíssima, esvoaçante, simpática e com uma voz maravilhosa; Dave Matthews já era uma paixão antiga, só confirmei a impressão dos cds; Eric, meu namorado, foi mesmo para ver Sublime, e adorou. Achei muito bom, mas confesso não ser tão mega fã.

Joss Stone: Mega surpreendente!

AGORA NOSSA MODESTA OPNIÃO SOBRE O QUE NÃO FOI LEGAL:

Qual  era ?

SWU (Starts With You – Começa Com Você) é um movimento de conscientização em prol da sustentabilidade que tem o intuito de mobilizar o maior número possível de pessoas em torno da causa, mostrando que, por meio de pequenas ações, com simples atitudes individuais do seu dia a dia, é possível ajudar a construir um mundo melhor para se viver. O movimento nasceu da iniciativa de Eduardo Fischer, presidente do Grupo Totalcom, e parte da convicção de que pequenas atitudes podem gerar grandes mudanças.

Qual foi!

A proposta virou uma promessa não cumprida.

A Totalcom (primeira multinacional brasileira do ramo da comunicação) utilizou subsídios  de 4 dos seus maiores clientes (Coca-Cola, Heineken, Nestlé e Oi), além do benefício da Lei Rouanet que concedeu  incentivo fiscal de R$ 6 milhões para a realização do megaevento. Para o seu próprio bem e também dos patrocinadores, ela precisava garantir o  retorno dos investimentos  através da presença do público pagante e aí vale tudo: divulgação,  preços exorbitantes, monopólio de marcas e todos esses truques do capitalismo.

E o que tem de errado nisso?

1 –  Nada ué, é uma estratégia do sistema e não há nada de ilegal nisso: vai quem quer (aqui cabem os protestos anarquistas/socialistas/comunistas, ahahahahaha!!!!)

2 – Nada ué,  é uma boa prática de responsabilidade socioambiental adotar o conceito da sustentabilidade nas relações comerciais, neutralizar as emissões de carbono,  minimizar os  impactos ambientais  do descarte de resíduos sólidos derivados da realização do evento,  divulgar conhecimento e promover ações de educação ambiental.

Então do que nós estamos reclamando?

DA PROPAGANDA  ENGANOSA CARAMBA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O SWU teria alcançado o mesmo resultado caso tivesse se vendido apenas como o primeiro megafestival do Brasil, as pessoas foram lá por causa da música.

Gente, olha bem essa foto : presta atenção na quantidade de lixo no chão e fala se esse  público  era formado por 164 mil ativistas ambientais?

Público super preocupado com o meio ambiente

Se o público não tava nem aí para os impactos ambientais então por que a Totalcom  ergueu a bandeira da sustentabilidade?

Para agregar valor e jogar o preço dos ingressos e produtos lá em cima.

E onde é que tá o engodo disso?

Em assumir um compromisso público de sustentabilidade e mobilização (leia as falsas promessas no site oficial do S.W.U) e não cumpri-lo, aplicando conceitos parciais e fixando objetivos unilaterais (do lado da empresa, claro).

As evidências que comprovam (nossa) teoria da exploração:

Segundo os números divulgados no site, o evento gerou 30 toneladas de resíduos que foram separadas e destinadas à Usinas de Reciclagem. Nós fazemos questão de ressaltar alguns pontos:

1 – Nem todo resíduo  separado é necessariamente reciclado – existe a categoria dos não recicláveis (materiais misturados,  orgânicos, etc), então obviamente não foram reciclados 30.000 kg de resíduos;

2 – Reciclagem é a última opção para um resíduo porque implica em sobrecusto de recursos naturais (gasto de energia e água utilizada num re-processo);

3 – Nas tendas de alimento, a cerveja em lata e a coca-cola em pet de 600ml era servidas em copos plásticos (eles nem perguntavam se você queria  sua bebida no copo ou na lata/garrafa), logo deduz-se que os fornecedores não foram tão bem treinados nos conceitos sustentáveis;

4 – A frase: “… foram destinadas à usinas de reciclagem.” Não especifica se as tantas toneladas foram doadas à cooperativas de catadores ou se a renda foi revertida para a própria administração do evento.

Isso tem outro nome além de expoliação?

Gente, um dos pilares da sustentabilidade é o consumo consciente, além da aplicação dos 3R’s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), mas esse conceito  deve ser aplicado a toda cadeia, da produção ao consumo, não dá pra ser  50% sustentável .

Todas as mochilas foram revistadas e a entrada de alimentos proibida (quem acampou durante os três dias não pode sequer cozinhar), todo alimento consumido tinha que ser comprado lá. O tal do Eduardo Fischer (o messias da sustentabilidade da Totalcom) disse numa entrevista ao portal do G1 que  a medida foi por segurança alimentar. “Não é questão de querer ganhar dinheiro. Nós somos responsáveis por quem passa mal aqui dentro, não podemos deixar entrar comida que não sabemos da onde veio”.  Olha só, falando assim ele não parece com a mãe da gente? Tão preocupado com nosso bem estar!!!!!

Vc olha a tabela e pensa: ah é o preço mesmo!

Nunca ouvimos dizer que um dono de camping pudesse ser processado por um campista por causa de uma diarréia qualquer ! Mas de qualquer forma, se saúde é importante (e realmente é!)  por que não oferecer comida de verdade em vez de fast-food? Isso já é muito comum nas raves.

Daí vc olha o lanche e grita: PQP!!! É enriquecimento ilícito!!!

O site apresenta como sua missão “mobilizar e incentivar, com pequenos gestos, a  construir um futuro melhor”. Pois bem, os gestos foram tão pequenos, mas tão pequenos que quase não se percebe:
    3000 pessoas participaram dos 3 dias de forum (menos de 2% do público pagante);
    Artes,  geradores e telhados verdes estavam expostos (leia-se “largados”) no meio do espaço mas não havia nenhum programa de acompanhamento. A coisa estava mais pra “fotografe se quiser, mas não me venha querendo saber para que serve ou quanto custa ao meio ambiente”.

Das mais de 200 mil pessoas esperadas, só 164,5 mil apareceram,  e o pior é que a grande maioria ficou muito desapontada com o evento, como resultado o Twitter e vários blogs  ferveram contra o festival. O portal do G1 ainda teve a moral de classificar os shows como SUSTENTÁVEIS, BIODEGRADÁVEIS E INSUSTENTÁVEIS (uma opinião bastante parcial, mas  deveras engraçada, rsrs).  Ainda naquela entrevista, o Fischer fala entre outras coisas que: “Algumas pessoas não entendem o conceito de sustentabilidade direito. Sustentabilidade é continuar fazendo as mesmas coisas que você faz, mas de uma maneira menos impactante. Qual a tecnologia que tem para trazer água para tanta gente melhor que a garrafa pet? Tem pet, mas tem reciclagem”, defendeu. “Se a gente tivesse colocado bebedouros, teria gente reclamando de falta de higiene”.

Além de pérolas como essa,  ele insiste em divulgar que o evento cumpriu sua proposta. Gente, notem bem que  nós não estamos reclamando de filas, de trânsito, de atrasos e coisas que podem ocorrer num evento desse porte, nosso problema é  a filosofia de boteco que eles estão pregando como ideologia,  que aos nossos ouvidos soa muito mais como um escopo de certificação ISO 14001 ou SA 8000!

Pelos padrões dele concluimos que  nós não entendemos direto o conceito de sustentabilidade, mas mesmo assim  deixamos um recado na pesquisa de satisfação que está disponível no site do SWU.

Tomara que ele entenda e a edição 2011 seja realmente sustentável! Bjo gente!

Anúncios

2 Respostas to “SWU – We’ve been there!!!”

  1. Ricardo 17/11/2010 às 22:01 #

    All,
    Eu estive na primeira edição deste festival, então chamado de About Us, que aconteceu na Chácara do Jockey. Naquela ocasião, também achei os preços absurdos e a qualidade dos produtos abaixo da média.
    Encaramos por causa dos shows, que eram realmente muito convidativos, mas, dessa vez, não tive a menor vontade de ir. E, pelas fotos que vocês postaram aqui, acho que fiz bom negócio, né?
    Abs
    Ricardo

  2. Flávia 22/11/2010 às 12:31 #

    Ora caro Ricardo! Financeiramente falando: cremos que sua linha de avanços e recuos adicionou um valor acumulado!
    Ahahahahahaha!!! Traduzindo: se vc não gosta de Dave Mattews o suficiente para oferecer seu bolso em sacrifício, se livrou de ser expoliado e isto já é um ganho enorme!!!
    Me parece que nesta primeira versão de 2009 eles ainda não tinham apelado para o marketing vergonhosamente verde né?!
    Bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: