Tag Archives: viagem

Punta Del Este – o luxo!

17 out

Olá viajantes!

Imagem

Patrícia Porter e uma noite de tranquilidade! 😉

Após a visita ao Cabo Polonio, jantamos e compramos algumas cervejas Patrícia (tínhamos que experimentar a cerveja local, como não?! rs). As cervejas Patrícia são encontradas em qualquer posto de gasolina, supermercado, boteco e vendinha. As garrafas, pelo jeito, não são retornáveis, o que nos permitia comprar mesmo sem ter um vasilhame para trocar. Ao final da nossa estadia, deixamos as garrafas para o dono do Hostel descartar e dormimos nossa última noite no Hostel Ibirapitá – havia muita coisa para ver, conhecer, experimentar, etc.

A idéia era passar por Punta del Este (porque, afinal, precisávamos ver do que todos estavam falando), pela capital Montevidéu, e seguir para Colonia del Sacramento. O plano era deixar o carro em Colónia, cruzar de balsa o Rio da Prata, que divide Uruguai e Argentina, e dormir uma ou duas noites em Buenos Aires.

Partimos por volta das 10h, com a idéia de almoçar em Punta del Este. Segundo o GPS (e o Google Maps), são 122 km pela Ruta 9, que podem ser cruzados em aproximadamente 1h40 min. Nós fomos muito mais devagar que isso, para aproveitar as paisagens e tirar fotinhos! 🙂

No caminho, casas e condomínios luxuosíssimos nos dão conta de onde estamos chegando. O bairro chama-se Parque Del Golf.

Casas e condomínios lindos

Casas e condomínios lindos

IMG_7938 IMG_7939 IMG_7941Perturbador, né?! rs

Fashion Road, centro de Punta del Este

Fashion Road, centro de Punta del Este

Punta del Este é mais ou menos o que Campos do Jordão representa para nós paulistas: uma cidade luxuosa, cheia de gente rica e lojas caras, que se tornou um dos destinos chiques da América do Sul.  Agora, além de beber vinhos caros no Chile e esquiar na Patagônia Argentina, você pode visitar a Fashion Road no Uruguai! 🙂

Lojas de todas as marcas, gente rica em todos os lados, shoppings, restaurantes finos… bom, nós nos sentimos pobres, claro. Ver uma vitrine com bolsas “Prada”, com a mais “barata” delas custando US$ 4.000,00 e não se sentir desvalido não é para qualquer um*!

*caso esteja interessado em saber mais sobre as lojas e os preços de Punta, achei um post bem legal nesse blog.

Descemos a rua procurando um caixa eletrônico onde pudéssemos sacar algum dinheiro (dólar ou peso uruguaio). Para quem é cliente Itaú, tem uma agência no final da rua. Encontramos agências do HSBC e do Santander por lá também – ressaltamos que independentemente do banco que você tem conta, o valor não pode ser sacado da SUA CONTA. Será sacado de um CARTÃO DE CRÉDITO INTERNACIONAL, com função de saque previamente habilitada. Não se esqueça de falar com o gerente de seu banco antes da sua viagem! Essa informação pode ser consultada aqui.

Enquanto procurávamos o caixa eletrônico, encontramos um restaurante giratório! Você pode fazer a sua refeição e admirar a paisagem de Punta, em 360º. O restaurante chama-se La Vista. Encontrei vários comentários no TripAdvisor e no Google, mas como não entramos no restaurante, não consigo lhes dizer como é o local. Os preços váriam de médio a alto e eles cobram US$ 8,00 caso você queria subir somente para admirar a vista e tirar fotos.

As ruas são limpas, têm lixeiras por todos os lados, os prédios são bonitos e mesmo os mais antigos são muito bem conservados; vimos raras pixachões; as construções são incríveis e um dos marcos da arquitetura moderna é a Ponte da Barra Leonel Viera, conhecida também como “ponte ondulada” ou “ponte torta”:

Ponte linda!

IMG_7907

E é muito engraçado dirigir nela!

Bandeira ao vento antes da entrada da ponte - :D

Bandeira ao vento antes da entrada da ponte

Depois do nosso rolê na cidade, da ponte incrível e das lojas chiques, finalmente fomos até o Posto 4 da Praia Brava, onde fica o monumento mais famoso de Punta del Este:

Monumento al Ahogado

Monumento al Ahogado

Chamado “Monumento al Ahogado”, a escultura foi feita em fevereiro de 1982 pelo artista plástico chileno Mario Irarrazábal. Demorou 6 dias para ficar pronta e, segundo o artista, a mão significa a presença do homem na natureza, o homem surgindo à vida. Também é conhecida como “Los Dedos” e  “La Mano”, e tem “irmãs” dela no Chile, na Itália e na Espanha. Não temos as especificações exaaatas, mas o maior dedo deve ter por volta 4,5 metros. Tinha algumas pixachões, mas a maioria à lapis ou caneta – nada que estragasse muito as fotos. É bem bonito, e praticamente obrigatório aos turistas tirar fotos lá pertinho!

Nesse dia, almoçamos uma milanesa e seguimos viagem, porque ainda tinha muitas coisas para ver e queríamos dormir em Montevidéo. Mais um pouquinho de Punta:

Calçada da Praia Brava, em frente ao monumento

Calçada da Praia Brava, em frente ao monumento

Uma das muitas lixeiras da Intendência de Maldonado

Uma das muitas lixeiras da Intendência de Maldonado – com baleia de símbolo 😉

Lá o carro chama-se Spark (versão sport)

Lá o carro chama-se Spark (versão sport)

A marina e os "barquinhos"

A marina e os “barquinhos”

Praça para feirinhas e exposições

Praça para feirinhas e exposições

A vista é espetacular! Procure os leões marinhos ;)

A vista é espetacular! Procure os leões marinhos 😉

Colocarei todas as fotos do Uruguai no link fotos, assim que terminar de escrever o roteiro todo, ok?

Criamos uma página no Facebook. Curtam lá! Até mais viajantes!

Mi Uruguay querido!!!

25 ago

Olá viajantes! Estamos vivos ainda!! 😀

Muitas coisas aconteceram no último ano: corremos, viajamos,  trabalhamos, cansamos. Enfim, acabamos ficando sem tempo para contar as nossas aventuras por aqui. Aos poucos, vamos recordando as histórias e postando as nossas viagens e nossas impressões, ok?

Vamos ver se consigo terminar de contar para vocês a viagem para o Uruguai, finalmente! Rs

Chegamos ao nosso primeiro destino, La Paloma, na noite do dia 03 de outubro de 2012, perto das 22:40. Embora as estradas por onde passamos não tenham iluminação, o asfalto é ótimo e a sinalização é muito bem posicionada. A velocidade média é de 90 Km/h.

Nos hospedamos em um hostel, que foi reservado pela internet, através do Booking – importante: baixe os aplicativos que você julgar necessários, salve as informações em um bloco de notas. Os serviços de roaming internacional são caríssimos (a Vivo cobra R$ 24,90 por DIA), e se você vai depender de Wi-Fi a viagem toda, é melhor se prevenir. Por conta disso, desligamos os sinais 3G do celular e nos comunicávamos por mensagens, quando o wi-fi estava disponível.

No Uruguai, há sinal wi-fi praticamente em todo lugar: restaurantes, lojas, hotéis, bastando que você peça a senha e aproveite. Há uma rede pública com sinal aberto, mas o sinal normalmente estava fraco e eu não conseguia ficar conectada durante muito tempo.

Open!

Open!

Ficamos no HOSTEL IBIRAPITÁ, situado no Departamento de Rocha. Pagamos US$ 24,00 a diária do quarto “double”, a suíte para casal. O hostel conta com um páteo com cadeiras e mesinhas, pra você bater papo e tomar cerveja Patrícia com os amigos. A cozinha também fica disponível para uso. Ao lado da recepção, há uma sala com lareira, que fica acessa em noites de muito frio. Você pode aproveitar para treinar o seu inglês nesta sala, já que a maioria dos turistas não fala espanhol.Há lençóis, cobertores e toalhas. No valor da diária, está incluso um café da manhã, mas eles não servem as outras refeições. O banho é quente, mas o aquecimento da água é por caldeira, e você pode ter a desagradável surpresa da água quente acabar antes de você terminar o banho – seja rápido!  Você pode levar suas bebidas e colocar no frigobar (antigo) do quarto, e também pode experimentar “Grappamiel” na recepção – um misturado de aguardente de uva e mel, muito popular no Uruguai (no dia seguinte, compramos uma garrafinha no terminal de ônibus, custou uns 60 pesos uruguaios – R$ 6,00).  É doce, e forte. Desce esquentando tudo mas deixa um gostinho bom de mel na boca. É bom, mas um pouco enjoativo para tomar muitas doses. O rapaz que cuida do Hostel foi muito simpático e nos deu muitas informações sobre o lugar. O hostel fica muito próximo ao “centro” de La Paloma. Há 2 quarteirões, você tem acesso a um restaurante, supermercado e posto de gasolina. Mais um quarteirão, lojas de roupas, bancos, bares, mais restaurantes e a praia!

Playa Bahía Grande

Playa Bahía Grande

A nossa primeira impressão de praia no Uruguai ocorreu no dia seguinte, 04/10, por volta das 9:00a.m. Bahía Grande! E era grande mesmo!

Um acumulado imenso de pedras para andar, uma areia grossa com muitas e muitas conchinhas quebradas, sem ondas, e com um vento frio que só! Visitar a praia de blusa de nylon não é muito comum no Brasil e se você acha que depois de 20 minutos de sol nós tiramos a blusa, engana-se. Nesta praia, nos demos conta que estávamos no sul da América do Sul, e que se viajássemos em linha reta em algum momento estaríamos no Pólo Sul… é frio, gente!!! Mas a vista é de tirar o fôlego!

No canto direito da foto tem um farol, vista comum no litoral uruguaio. Todas as cidades litorâneas pelas quais passamos têm um farol, sempre bonito e disponível para visita em alguns horários do dia.

A vista da praia e a vontade de por o pézinho na água fria!

A vista da praia e a vontade de por o pézinho na água fria!

Depois de uma voltinha na praia, fomos dar uma volta pelas ruas da cidade. Pequena e acolhedora, La Paloma é um ótimo refúgio para quem quer sossego, natureza e paisagens bonitas.

As ruas são de cascalho, conchinhas ou pedras. Poucos automóveis circulando.

As ruas são de cascalho, conchinhas ou pedras.

20121004_120544

Sem números!

As ruas são muito tranquilas, vimos poucos automóveis circulando por lá. Pudemos reparar também que as casas não têm números! Todas têm um “nome”, uma forma de identificar o morador – sempre com nomes de peixes, lugares, coisas da natureza. Esta ao lado direito é identificada como “Alua”, e tem uma lua acima da entrada.

Um rolê pelas ruazinhas e entramos no supermercado. Várias marcas são comuns, algumas coisas têm nomes diferentes em embalagens iguais às daqui. Os preços são muito parecidos com os nossos.

Cubano!

Cubano!

O rum cubano, por exemplo, é mais caro aqui do que no Uruguai (lá custa em média R$ 67,00). Fiquei tentada a comprar, mas não ia dar pra tomar todo esse rum e dirigir tudo o que tínhamos que dirigir ainda, né?! rs

Chá medicinal :)

“Reduce su tamaño”. Será?!

E os chás?! Ah, nós rimos muito! No Brasil existem leis que proíbem este tipo de “promessa medicinal” nos produtos. Já no Uruguai… esse chá ao lado é para redução do tamanho da próstata! Vimos chá para impotência, para emagrecimento, e diversos tipos de chá divertidos! 🙂

Essas diferenças podem parecer bobas, mas achamos que conhecer esta parte do dia a dia das pessoas faz diferença no final, no nosso “entendimento” do lugar que estamos visitando. A forma como elas vivem, como comem, o quê comem, quanto pagam, etc. faz parte da cultura de um povo, um país. Visitem os supermercados. É muito divertido!

Volto já com o outro post sobre o Uruguai.

Abraço, viajantes! 😉

Cachoeira dos Machados I e II

15 jul

Olá viajantes!

Como eu estava contando no post passado, estivemos em Bueno Brandão neste feriado de 9 de julho, para conhecer as muuuuitas cachoeiras do lugar.

Na sexta-feira, além de conhecer a Cachoeira dos Félix, conhecemos também as Cachoeiras dos Machados. Saindo da Cachoeira dos Félix, ao invés de virar à direita e voltar para a estrada para Socorro, você pode virar à esquerda e descer a estradinha de terra. Ao final dela, vire novamente à esquerda, seguindo a placa “Cachoeira” (se quiser voltar, virando à direita você sai no “asfalto”, sentido Bueno Brandão)…

Cachoeira dos Machado II

O valor da taxa de visitação é R$ 2,50 (embora no site de Bueno Brandão esteja escrito que não tem taxa de visitação…). Você estaciona em um canto do terreno e desce uma ruazinha; tem uma lanchonete; anda-se alguns minutos em uma trilha bem demarcada, em uma propriedade particular. Aliás, muuito cuidado com o caminho! Algumas vacas costumam pastar por lá, e deixar seus rastros! rs

A cachoeira é beem alta também (queda de 70 metros), mas como faz algum

Poço para banho na Machados II!

tempo que não chove (ou não chovia!!!),  o fluxo de água está um tanto menor. Pelas pedras, dá para ter uma noção da maravilha que esta cachoeira deve ser em dezembro/janeiro! E na parte de baixo ainda tem um poço, caso você queira tomar um banho de água beeeem gelada!!!

Paramos para um “dedo de prosa” com a dona da casa, que tem plantas lindas

Placa indicativa

logo ao lado do banheiro, e seguimos para a Cachoeira dos Machados I. Voltando para o asfalto, viramos à direita, sentido Bueno Brandão (note que a estrada Bueno Brandão/Socorro é metade de terra e metade asfaltada). Logo à frente, você verá uma subida não muito íngreme… antes da curva, vire na primeira entrada à esquerda (caso você se perca, pergunte no bar, na beira da estrada, onde é a Cachoeira dos Machados I). Logo que virar, vai ver a placa. Siga em frente.

Parte divertida> cruze a ponte sobre o rio.

Só passa um por vez! rs

Depois da ponte, você dirige durante uns 5 minutos e já vai avistar umas casas. A cachoeira fica em uma dessas propriedades, a última. Tem um espaço cimentado para parar o carro,  e a taxa de visitação é de R$ 2,00.

Cachoeira dos Machados I

Aqui, o volume d’água é impressionante!!! Ficamos nos perguntando como será a cachoeira em época de cheia! Você pode andar até esta pedra, que fica bem em frente à cachoeira, mas tem que atravessar essa “pinguela” aí, ó (parte inferior direita da foto)!!!

Tem uma trilha que vai até a parte mais alta da cachoeira, acima da queda.

Vista da parte de cima da cachoeira

Lugar para passar a tarde, colocar os pés na água geladíssima e pensar na vida. Aliás, pensar nas coisas BOAS da vida! Tipo… ãh… viagens de graça para todos os lugares??? 😉

Abraço à todos, até a próxima!!! (Ainda faltam 4 cachoeiras pra falar!)

Sempre viajando… quase sempre!

12 nov

Olá!

Temos estado longe das viagens ultimamente… a vida anda corrida para estes 4 aventureiros, mas logo estaremos de volta à ativa.

Enquanto esperamos, pesquisamos novas formas de viajar e também novos destinos. São tantos planos que serão anos para concretizar todos, mas sonhar é sempre muuuito bom. E o melhor: é de graça! Achei dois sites, diferentes no conteúdo mas relevantes no assunto, que gostaria de compartilhar com os viajantes deste blog.

EstradaRealUm deles é o site da Estrada Real, um site muito bem organizado, onde é possível tanto se escolher os destinos, quanto montar o pacote de viagens e o roteiro. São mapas, dicas, fotos e muita informação. Também dá para perceber um trabalho muito bom no sentido de tornar as cidades mais acolhedoras para o turista, de uma forma sustentável e organizada.

Um amigo viajou um trecho dela e achou fantástica… pesquisando, entendi odani_estradareal04 porquê de tanta admiração: a Estrada Real é composta de vários caminhos, que passam por centenas de cidades, e foi sendo formada ainda no tempo do Brasil Colônia, à medida que as riquezas foram sendo descobertas e tinham a necessidade de serem transportadas. Com muitos trechos percorridos pelos Bandeirantes, também era utilizada para o transporte de bens de comércio.

foto_estrada_real_inicioNo site, pode-se buscar por atrativos, nomes das cidades, ou escolher um dos caminhos para trilhar. Claaaro que você também pode trilhar todos, mas isso demanda algum tempo de planejamento e muita disposição. Afinal, a estrada cruza pelo menos 3 estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Vale à pena conhecer. Quando eu tiver uns diazinhos livres…

E então, depois de ver essas maravilhas, eu estava fuçando na internet e “trombei” com este site: www.comoplanejarsuaviagem.com.br. Apesar da propaganda (o site é da Caixa Econômica), achei que as dicas ali são boas e estão descritas de uma forma muito fácil. Tem uma calculadora de despesas, para você ter uma noção do quanto vai precisar para fazer a tãão sonhada viagem e também dicas de alguns destinos no Brasil. Não subestime, as dicas são beeem legais!

Bom, é isso.

Conforme eu for achando mais informações úteis, prometo ir postando aqui.

Abraço à todos e até! 🙂

Viaja Mais Melhor Idade

7 out

A internet tem mesmo uma quantidade imensa de informação. O fato é que nem sempre temos tempo e paciência para buscar e conferir todos os resultados. De tempos em tempos, eu me dou ao luxo de perder um pouco de tempo procurando por notícias e sites interessantes pra postar aqui (quem sabe a informação seja útil para alguém, ou para o “Vem Conosco” mesmo?).

Hoje, decidi fuçar sites do governo. Acredito que muitos de vocês já tenham ouvido falar do programa Viaja Mais Melhor Idade.

Viaja Mais Melhor Idade

Viaja Mais Melhor Idade

O programa foi criado para proporcionar às pessoas da Melhor Idade (acima dos 60 anos), a possibilidade de conhecer vários roteiros do país a um custo reduzido. Os destinos são variados, e podem ser escolhidos através da internet (no site há opção para download e impressão dos guias de Destino e Hospedagem). Também vi guias impressos em algumas agências da Caixa Econômica.

Curtindo a melhor idade e o país inteiro!

Curtindo a melhor idade e o país inteiro!

Os descontos se estendem ao acompanhante maior de 16 anos, permitido nas viagens e os roteiros estão divididos por área de interesse: Sol e Praia, Cultura, Ecoturismo, Esportes, Negócios e Eventos, Aventura e Rural.

Fica a dica para quem queria levar a mamãe, o papai, o titio, a vovó e o vovô para passear, sem gastar muito!!! Para você, que não quer nada disso, compensa dar uma olhadinha nos roteiros, são muuito interessantes! 😉

Acessem:

Viaja Mais – Para saber mais sobre o programa e as condições para usufruir.

Turismo – Roteiros, destinos e dicas.

Hospedagem – Portal de hospedagem, divido por categoria e local, com preços.

Abraços e até!

Ilhabela/SP

22 set

Vista maravilhosa!

Vista maravilhosa!

Há muita coisa para fazer na Ilhabela, tanto para quem pode gastar um pouco mais quanto para quem está viajando com os trocados contados (estamos no segundo grupo, por enquanto! rs). O nosso feriado foi relativamente curto, já que tivemos que deixar a ilha mais cedo, por conta do já esperado trânsito e também de um pequeno acidente com uma panela de água fervente e minha cunhada (história feia, deixemos para depois).

Chegamos sábado de madrugada, foram 4 horas de viagem, saindo de São Caetano do Sul. Não pegamos trânsito, mas paramos duas vezes na estrada. Montamos a barraca e fomos em busca do Parque Estadual de Ilhabela, onde fizemos a Trilha da Água Branca. De tarde, almoço e descanso, porque ninguém é de ferro! 😀 Janta? Churrasco, R$ 7,00 por pessoa, “com Mastercard”!

No domingo, acordamos cedo para poder aproveitar a praia. Visitamos duas, embora o tempo estivesse um pouco nublado.

Praia do Jabaquara, sem sol.

Praia do Jabaquara, sem sol.

O mais bonito é que, mesmo sem sol, o mar ainda é verde. Ou seria azul?

Praia do Jabaquara, com sol!

Praia do Jabaquara, com sol!

A praia do Jabaquara foi a praia mais distante que tivemos coragem de ir

O lugar onde o riozinho deveria estar... estranho...

O lugar onde o riozinho deveria estar... estranho!

com nossos carros comuns. Me parece que é a última. À próxima (praia da Fome), só se chega por trilha.

De um lado, você vê um costão rochoso imenso, mas só dá para andar sobre as pedras até determinado trecho, depois as pedras ficam muito verticais e próximas à arrebentação; do outro, costumava correr um riozinho, que não estava mais lá desta vez (não sabemos o porquê, talvez seja um daqueles intermitentes…). Seguindo pela estrada, sentido norte, você pode deixar o carro em um dos 3 estacionamentos, com placas indicando os valores (R$ 5,00, R$ 10,00 e R$ 10,00), ou no estacionamento do restaurante que fica na praia. Deixamos no de R$ 5,00 mesmo, e descemos a estradinha para a praia à pé.

A foto com tempo nublado foi tirada agora no feriado de 7 de setembro, da ponta da praia. A outra com sol, foi tirada em janeiro, quando estivemos por lá, da estrada.

Saindo da praia do Jabaquara, fomos para uma das minhas prediletas: a praia da Pedra do Sino! O nome curioso deve-se ao fato de algumas pedras, quando golpeadas com um martelo, soam como sinos. A praia é tranquila, sem ondas, ótima para ir com crianças.  Você vai andando e afunda beeem aos pouquinhos. Curiosamente, só uma vez estive nela com sol e não tinha máquina para tirar fotos… vou ficar devendo! Mas essa praia tem algo que gostamos muito: costão rochoso!

Peeedras!!!

Peeedras!!!

Andando sobre as pedras, fomos um tanto longe da praia. Observando

Carangueijinho fashion!

Caranguejinho fashion!

atentamente o mar, vimos tartarugas marinhas por ali. Achamos lindo!!! São muito rápidas e por isso não consegui tirar fotos para mostrar para vocês mas, se acaso visitarem esta praia, tirem alguns minutos para observar o mar, das pedras. E prestem atenção às manchas escuras, que se movem na água! 😛

Também vimos um caranguejo muito do bonito, com patas vermelhas!

De noite, demos uma volta na Vila, onde se concentram muitas lojinhas e lojonas, para todos os gostos e bolsos. Também há restaurantes onde se come desde PFs, até pizzas e pratos com diversos frutos do mar.

No dia seguinte, segunda-feira, São Pedro finalmente nos deu uma folga e pudemos pegar um solzinho. Fomos à Praia Grande!

Praia Grande!!!

Praia Grande!!!

A Praia Grande é linda! Uma mistura de pedras, praia de tombo, riozinho, espaço para tomar sol e uns quiosques com preço justo. De frente para a praia, há um camping chamado Canto Grande. Da última vez que consultamos, a diária era R$ 30,00, e tem um restaurante onde o PF saía por R$ 12,50. Só tome cuidado, pois a praia é de tombo, com o chão um pouco irregular. Pelas pedras ou por uma trilha no canto direito da praia, chega-se à praia do Julião, não muito distante.

Pôr do sol, da balsa.

Pôr do sol, da balsa.

E é claro que a ilha se despede de você com um pôr do sol fantástico! Esta foto foi tirada na balsa, quando já estávamos deixando a “Ilha dos Sonhos” para voltar à nossa dura e “cruel” realidade! rs

Obrigada aos que lêem e comentam. Obrigada aos que lêem e não comentam. Obrigada aos que vem só para ver as fotos.

Abraço à todos, até a próxima!

Viagens e chuva

4 set

Olá!

Viagem e chuva parecem não combinar… nunca. Todas as vezes que planejamos uma viagem, alguém sempre corre e olha a previsão do tempo para o fim de semana/feriado em questão. E é claro que a previsão sempre é a pior possível! rs

Chuva em São Paulo, hoje. Sempre o caos.

Chuva em São Paulo, hoje. Sempre o caos.

Em São Paulo, tivemos duas semanas com calor considerável (ainda mais na terça-feira, o dia mais quente do inverno). Agora, feriadão prolongado se aproximando e… chuva. Então entramos naquela paranóia: viajar ou não viajar???

Bom, consultei a previsão do tempo para o feriado, para a cidade de Ilhabela, em 4 sites diferentes. Em alguns sites, mais otimistas; em outros (como o Climatempo), mais pessimista. Pesquisei no Climatempo, no Yahoo, no UOL e no CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e estudos Climáticos – oficial, do Governo Federal).

Como a previsão para o sábado é de sol, estamos indo. Aprendemos em nossas viagens (claro que nós já pegamos chuva!) que não importa onde você esteja, o tempo seeempre pode virar e, se você estiver com as pessoas certas, sempre vai ser divertido. E várias vezes, as previsões sequer se confirmaram… lembrem-se: previsão do tempo não é profecia, nem decreto.

Nós e a chuva... "nem aí"!!

Nós e a chuva... "nem aí"!!

E, sinceramente? Vale mais à pena tomar uma chuvinha viajando e conhecendo lugares novos, do que ficar em casa vendo a chuva pela janela. Uma amiga me tirou sarro hoje, dizendo “vocês vão viajar e ia chover no feriado!”. Eu respondi para ela que “melhor tomar chuva em Ilhabela do que em Guarulhos”. Certo?

Abraço à todos, bom feriado!!! 😀

Até a volta!