Cuidado com o Palmito que você come.

17 jun

Qual palmito?

E aí, deu uma fominha?

Em nossas caminhadas pela Mata Atlântica, temos aprendido muito sobre história, botânica, ecologia e as espécies em extinção… uma espécie da qual temos ouvido falar muito é a “Palmeira Jussara” (ou Juçara, como já vi também): ela é uma das árvores da qual é extraído essa iguaria famosa (e, para muitos, deliciosa), que é o palmito. As outras espécies também consumidas são o palmito de Açai e o palmito Pupunha.

Palmeira Jussara na Mata

Palmeira Jussara na Mata

Já tínhamos pensado em fazer um post sobre o Jussara, mas a idéia reforçou-se depois que assisti a uma reportagem na televisão (Repórter Record, para ser mais exata). Bom, vou deixar o link e vocês assistem, depois me dizem o que acham. Palmito é igual tantas outras coisas roubadas: as pessoas compram, sabem que não é lícito, mas fazem. Às vezes param para pensar, às vezes, não.

Nem vou entrar no mérito do contrabando de animais silvestres, que isso já é chover no molhado. Mas a parte do palmito está do meio para o fim do vídeo acima, mais ou menos no 6m19s. Abaixo, a continuação…

A nossa campanha contra o consumo do palmito Jussara (euterpe edulis) consiste em alguns argumentos que, para alguns, podem ser pouco válidos, mas talvez valha a pena reconsiderar:

  • a Palmeira Jussara é uma espécie ameaçada de extinção, pois é necessário cortar a árvore para extrair o palmito; o ponto ideal de corte para extração do palmito é quando a palmeira atinge de 10 a 15 anos de idade, o que a tornou inviável economicamente para plantação;
  • Ela gera apenas um ou dois quilos de palmito, pois é abatida com pouca idade;
  • o palmito que consumimos é, na verdade, a ponta das palmeiras, onde as folhas novas estão em formação. Ou seja, mata-se uma árvore de quase quinze metros (que não tornará a brotar), para consumir suas ‘folhas-bebê’;
  • o palmito está sendo extraído de Unidades de Preservação, ilegalmente. Há casos de guardas florestais que foram emboscados por “palmiteiros” armados, e mortos.
  • muitos dos animais nativos da Mata Atlântica alimentam-se dos frutos da palmeira, espalhando suas sementes pela mata. Para a fauna,  a Jussara é insubstituível, chega a produzir cerca de 2.500 frutos num período de 4 meses, entre os meses de maio a agosto (período de seca). Sem a palmeira, os animais podem desaparecer, e vice-versa;
  • os ‘palmiteiros’ quando estão nas matas, matam animais nativos, se necessário, ou caçam para vender;
  • preparado de forma clandestina, o palmito não tem as mínimas condições de higiene, colocando em risco a saúde do consumidor. A presença de coliformes fecais é frequente nos palmitos apreendidos, tendo como resultado casos de botulismo.

Para evitar o consumo desse produto tão bom e que está ficando tão escasso,

Selo ANFAP

Selo ANFAP

foi criado um selo para os produtores de palmito, que garante que o produto não é originário de contrabando. Se você não quiser arriscar, coma palmito Pupunha, ou palmito de Açaí!!! Se não, procure o selo ao lado!

Links associados:

http://www.terrabrasil.org.br/ecosistema/ecosist_jussar.htm

http://olhonatural.blogspot.com/2009/03/verdade-sobre-o-palmito.html

Gostou? Comente.

Não gostou? Comente também. Sua opinião é sempre levada em consideração aqui.

Abraço a todos, boa semana.

Anúncios

3 Respostas to “Cuidado com o Palmito que você come.”

  1. Luiz 03/08/2010 às 18:55 #

    Gostei do artigo, e na região onde estudo há um projeto de cultivo de jussara para a extração apenas dos frutos, em substituição do açaí. É uma pena que, mais uma vez, pela burrice humana o nosso ecossistema tenha que pagar um preço tão alto.

    • Pucca 03/08/2010 às 22:05 #

      Luiz, boa noite e bem vindo.
      Realmente, há projetos em várias comunidades, para extração do fruto da jussara. Já achamos polpa de jussara em São Luis do Paraitinga para vender, e é mesmo muito parecido com açaí. Não somos lá tããão chegados em palmito, mas agora toda vez que comemos perguntamos (assim, como quem não quer nada), qual é o tipo que está sendo servido.
      Se não houvesse mercado consumidor, não haveria extração…
      Abraços e volte sempre!

  2. Mário Fontes 12/08/2012 às 19:10 #

    O artigo esta excelente! porem o ideal é consumir palmito somente de reprodução e de preferencia o de pupunha que se reproduz com facilidade e é de uma maciez e saboroso. e creio que não agride tanto a natureza. Adoro palmito mais a algum tempo que so consumo o de pupunha se não encontrar fico na vontade. A natureza agradece!
    Mário Fontes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: